Professores aprovam em assembleia aumento de 5% no plano de saúde para cobrir inadimplência em Juazeiro

Da Redação

O Professor Expedito Ferreira de Vasconcelos, ao final da Assembléia Geral Extraordinária da APLB Juazeiro, realizada na manhã desta sexta-feira (24/01), falou com a reportagem do AP, explicando os motivos da convocação e o risco dos associados perderem o plano de saúde empresarial que beneficia professores da rede estadual e municipal que aprovou um aumento de 5%, para cobrir a inadimplência.

Expedito Vasconcelos

Para o Professor Expedito a discussão foi ocasionada por associados que privilegiam outras coisas e “esquecem de pagar o plano de saúde e prejudicam quem paga rigorosamente em dia.O nosso objetivo é não perder este plano que mesmo caro oferece vantagens”.

Ele se mostrou preocupado com a situação. “Só na rede estadual  existe o valor de R$ 82 mil com pessoas inadimplentes. A APLB não tem de onde retirar este dinheiro para pagar   no dia do vencimento, e mesmo assim tem gente que vem pagar quando bem quer”.

Sobre a situação dos professores da rede municipal de ensino, ele afirmou que existe também alguns problemas. “Estamos enfrentando dificuldades também porque a prefeitura não envia os relatórios de descontos para a APLB, e com isso fica difícil descobrir quem pagou e não pagou. Estamos insistindo para que nos envie todos os meses para que possamos cobrar dessas pessoas”, lamentou.

A assessora jurídica da APLB, Doutora Monacita Santana alertou sobre os graves problemas caso o plano caso o plano seja cancelado

Professor Expedito afirmou ainda que os prejuízos ao mês ultrapassam o total de R$ 100 mil. “Este valor é apenas do pessoal da rede estadual, temos ainda o pessoal do município vizinho de Curaçá”. Sobre os desconto de 5%  no valor que cada usuário paga. “Não garantimos que este percentual tenha condições de cobrir, mas é um dos meios para que as pessoas venham pagar e   que mais na frente possamos resolver este problema”.

Gilmar Nery

Por sua vez, o professor Gilmar Nery alertou sobre o risco de interrupção do plano. “A APLB preocupada com os contratos de planos de saúde que tem com a Unimed, sendo que esses dois planos [rede municipal e estadual] tem mais de hum mil usuários, e no meio dessa quantidade está existindo problemas, assim que descobrimos que o plano estava ocorrendo risco de  interrupção por conta de inadimplência, decidimos realizar esta assembleia.”

Assembleia aprovou percentual de 5% para cobrir parte das despesas dos inadimplentes

“O percentual de 5% vai servir como uma taxa de segurança para que as pessoas não fiquem sem o seu plano.O percentual não cobre uma fatura de R$ 700 mil, com um rombo de R$ 82 mil. Este percentual foi o menos que encontramos. Daqui a um ano faremos uma nova assembleia para tratar do mesmo assunto. Quero lembrar que este percentual é apenas para as pessoas que são usuárias do plano de saúde  empresarial Unimed e não para os filiados do sindicato”, concluiu.

Galeria de fotos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *