Projetos de cinco municípios fluminenses vencem Prêmio Rio Sociocultural

Os cinco projetos vencedores da quarta edição do Projeto Rio Sociocultural foram anunciados hoje (25), em cerimônia no Teatro João Caetano, no centro do Rio de Janeiro. Os escolhidos foram os projetos Agência de Redes para Juventude, do Rio de Janeiro; Jurujuba – Pescando Sonhos, de Niterói; Luar de Dança, de Duque de Caxias; Idosos com Amor, de Cabo Frio; e Trem Cultural, de Casimiro de Abreu.

Selecionados entre os dez finalistas por um júri composto por representantes das instituições patrocinadoras e apoiadoras do prêmio, os cinco projetos receberão R$ 10 mil cada. A verba vai se somar aos R$ 5 mil que cada projeto havia recebido, juntamente com os demais finalistas.

Iniciado em 1990 em uma igreja de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, com a participação de 16 adolescentes, o projeto Luar de Dança conta hoje com 1.500 alunos, entre crianças, jovens e adultos. Além das aulas de ballet clássico e dança moderna, eles recebem reforço escolar, oficinas de cultivo de horta familiar e de alimentação saudável. “Trouxemos a arte como elemento fortalecedor e transformador da realidade, mas nosso maior resultado será a influência desse trabalho na vida adulta desses jovens”, disse o coordenador do projeto, Deco Batista.

Com atuação há três anos em 17 favelas do município do Rio, o projeto Agência de Redes para Juventude agrega jovens que são incentivados a criar, implementar e manter ações em suas comunidades. A cada ciclo do projeto, 300 jovens ganham uma bolsa de criação no valor de R$ 100, para desenvolver suas ideias por um período de quatro meses. As melhores propostas recebem R$ 10 mil para serem implementadas nas comunidades.

Do outro lado da Baía de Guanabara, o projeto Jurujuba – Pescando Sonhos envolve 100 crianças e adolescentes, em sua maior parte filhos de pescadores da colônia de Jurujuba, em Niterói. O objetivo é melhorar o rendimento escolar e diminuir a taxa de evasão, por meio de oficinas de reforço, dança e artesanato.

Na Região dos Lagos, o projeto Idosos com Amor há 13 anos atende a 110 idosos carentes de Cabo Frio, tendo como foco a inclusão e o resgate da cidadania. Além de receberem atendimento médico e psicológico, eles participam de atividades como o projeto literário Caderno de Contar Histórias, em que relatam suas memórias.

Na mesma região, o projeto Trem Cultural, do município de Casimiro de Abreu, se inspirou nos famosos Doutores da Alegria para levar o humor às crianças internadas nos hospitais da região, por meio da distribuição de livros e da contação de histórias. Mais de 500 crianças são assistidas a cada mês pelo projeto.

Criado em 2009 com objetivo de contemplar ações que contribuam para o crescimento social e o aumento da autoestima das comunidades, o Prêmio Rio Sociocultural bateu nesta edição o recorde de inscrições, com 387 projetos de 69 municípios fluminenses. (Agência Brasil)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *