Prontuário de Deliane indica descaso da Secretaria de Saúde e familiares querem punição 

O caso Deliane Feitosa da Silva, 31, anos, mãe de cinco filhos, que no dia 10 de junho deu entrada no Hospital Materno Infantil de Juazeiro, administrado pela Prefeitura, para a realização de uma curetagem e que, até a presente data (15/08), passados um mês e cinco dias continua internada, recuperando-se, toma rumos diferentes.

Gilvan fala pela familia

A Prefeitura, apesar de negar-se a fornecer o laudo à mãe e ao pai, afirma insistentemente que a responsabilidade seria da médica que realizou o procedimento. Obtido o laudo, com orientação de um advogado, sabe-se agora que um exame solicitado, capaz de detectar a origem do sangramento e que foi razão da interrupção da curetagem, não foi autorizado pela Secretaria de Saúde.

No sentido contrário, o plantonista que atendeu Deliane Feitosa no Hospital Dom Malan, na madrugada do dia 12, para onde foi transferida sem conhecimento da família, em primeiro lugar, solicitou o mesmo exame.

Do Hospital Dom Malan, onde foi deixada, sem que lá houvesse um cirurgião que pudesse realizar a cirurgia, Deliane veio para o Hospital Regional, onde se encontra.

A família, mãe, pai, amigas e amigos, que não obtiveram nenhum contato com a Prefeitura, resolveram levar o caso adiante.

Gilvan Alberto, com o apoio da mãe, Maria da Paz, da cunhada Sonia Neri, de amigos e amigas da Deliane e pessoas comprometidas com a verdade, inconformado com o descaso, acionou os órgãos de comunicação e um advogado que pudesse encaminhar o necessário processo, a punição e a indenização pelos males causados a uma mãe de família.

Lamentando que o caso tenha causado problemas para a “família real”, Gilvan lembrou que se houve acordo ou ajuda não foi com a mãe, o pai e para os filhos de Deliane e que o Grupo que representa “A Corrente do Bem” ainda hesitou em contribuir pois a prefeitura afirmava categoricamente que estava dando todo apoio à família.

“Ficou assim uma nuvem escura, porque a mãe e os quatro filhos não recebem esse benefício que a prefeitura diz que está dando”

Neste início de semana, depois de ir à Promotoria, Gilvan Alberto, diz que o descaso da Secretaria, foi levado ao Ministério Público e que espera que o descaso com o pedido da médica, que teria poupado sofrimento à Deliane e à família, seja devidamente punido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.