PSB negocia saída “amigável” do governador do CE

executiva-psb

A executiva nacional do PSB decidiu nesta quarta-feira decretar intervenção, em caráter liminar, no diretório regional do Rio de Janeiro, afastando o presidente Alexandre Cardoso e todos os outros membros da direção partidária.

O PSB julgou procedente uma representação feita contra Cardoso, que é também prefeito de Duque de Caxias, pelo deputado federal Gláuber Braga e três outros membros da direção regional.

Cardoso é acusado de esvaziar o partido no Estado para fortalecer o PMDB e a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Prova disto, segundo o ex-vice-prefeito do Recife, Milton Coelho, que é membro do diretório nacional, é que ele tirou os cinco deputados estaduais que o partido tinha no Estado e os filiou ao PMDB.
Embora notificado para participar da reunião, que foi convocada, extraordinariamente, pelo presidente Eduardo Campos, Cardoso não compareceu.

Enviou uma carta ao partido explicando as suas posições. A carta será avaliada pela direção nacional, porém os efeitos da intervenção já começaram a valer a partir de hoje.

O PSB decidiu também não reclamar na Justiça o mandato do governador do Ceará, Cid Gomes, nem dos parlamentares ligados a ele, por estarem saindo do partido.

Segundo Milton Coelho, fez um “acordo de cavalheiros” com o governador. Ele sai do partido de imediato e o deixa livre para que Eduardo Campos designe uma nova executiva provisória regional para reestruturá-lo naquele Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.