Randolfe Rodrigues e Humberto Costa tentam pacificar conflito entre Omar Aziz e Renan Calheiros

O argumento de Randolfe e Costa é que a CPI não pode enfraquecer e abrir flanco na fase final

Omar Aziz e Renan Calheiros (presidente e relator da CPI da Covid)
Omar Aziz e Renan Calheiros (presidente e relator da CPI da Covid) (Foto: Ag.Senado)
Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Humberto Costa (PT-PE) passaram a atuar como bombeiros na crise instaurada na cúpula da CPI da Covid.

O presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM) decidiu ficar sem falar com o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL) até quarta-feira, quando o relatório final será lido na sessão. O argumento de Randolfe e Costa é que a CPI não pode enfraquecer e abrir flanco na fase final, informa a jornalista Bela Megale em sua coluna no Globo.

O rompimento ocorreu por causa de vazamentos de trechos do relatório elaborado por Renan e que, segundo Aziz, foi passado para a imprensa pelo relator. Renan havia se comprometido em discutir pontos do documento com os colegas antes de o texto ser apresentado..

Aziz e Calheiros divergem sobre a atribuição de alguns crimes a Jair Bolsonaro, como o de genocídio.

Mesmo com a divergência, o presidente da CPI  disse em entrevista coletiva que não vai pedir a retirada de nenhum indiciamento pedido por Renan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *