Rui Costa inicia conversações para definir chapa das eleições de 2014

Lilian Machado
 

Após dar posse aos diretórios e ungir o nome do secretário da Casa Civil, Rui Costa, para a corrida estadual de 2014, com o evidente pontapé do governador Jaques Wagner, que desde o início deixou clara a preferência pelo auxiliar, o PT e o pré-candidato seguem agora a estratégia de convencer os aliados no plano de manutenção no poder a partir de 2015. “Agora o partido vai dialogar com os partidos da base aliada, mostrando que esse projeto  é positivo para a Bahia e que tem tudo para darmos continuidade”, disse ontem o presidente estadual empossado no último sábado, Everado Anunciação.

O dirigente minimizou qualquer tensão com os parceiros e destacou que a equação da chapa majoritária será solucionada com muito diálogo, a ser liderado pelo governador. PP e PDT seriam os principais partidos em jogo que estariam na busca da vaga de vice ao lado de Rui Costa. Mas, outras legendas ensaiam reivindicar espaço, a exemplo do PCdoB e até mesmo o PSC, que se aliou há menos tempo, e disse querer espaço para o Senado.

“Vamos resolver tudo com muito diálogo. Os aliados têm que ter clareza de que há outros espaços que não estão na chapa, mas que são importantes espaços de poder a serem compartilhados”, afirmou Anunciação.

O chefe da Casa Civil, agora alçado ao posto oficial de pré-candidato do PT ao Palácio de Ondina, também disse após o evento que vai começar as conversas ainda essa semana. “Nós vamos conversar muito, o que ajudará a formar a chapa com o vice, senador e suplente de senador. Vamos organizar as chapas proporcionais também e iniciar tudo a partir dessa semana”, afirmou. Rui assegurou que a negociação será coordenada pelo presidente do PT e por Wagner.

O novo presidente buscou desfazer as supostas críticas de que não houve “democracia” no fechamento em torno do nome de Rui. “Foi um processo comum ao PT, onde todos foram ouvidos, o governador, os deputados e os prefeitos. Desde fevereiro que se iniciou esse diálogo também com a direção nacional.

A diversidade é importante, mas a unidade é a coisa mais forte do PT”, disse, se referindo aos outros pré-candidatos, o secretário dePlanejamento, José Sérgio Gabrielli, o ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano e o senador, Walter Pinheiro que recuaram para ceder apoio a Rui.

 Tribuna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *