Sargento denuncia perseguição de militares da Marinha após se lançar pré-candidato pelo PSB

Michel Uchiha, que pretende concorrer a vereador, tem sido atacado nas redes e sofre represálias até mesmo internamente
” alt=”” aria-hidden=”true” />

Enquanto oficiais da ativa compõem o gabinete do presidente Jair Bolsonaro sem qualquer retaliação e têm liberdade para se lançar como candidatos, o sargento e escritor Michel Uchiha tem enfrentado ataques nas redes e dentro da própria Marinha – por praças e oficiais – em razão de sua pré-candidatura a vereador nas eleições de 2020 pelo PSB, partido do campo de oposição ao presidente.

Segundo Uchiha, os ataques começaram quando fizeram uma publicação em um grupo LGBTs pela Democracia comparando ele com o ex-policial militar Gabriel Monteiro. “Depois disso comecei a sofrer ataques, rastrearam minhas redes sociais, viram que eu sou crítico a atitudes do governo Bolsonaro e abriram uma sindicância mesmo eu estando em férias para tentar me punir”, afirmou o pré-candidato à Fórum.

Uchiha, que está há quase 11 anos nas Forças Armadas, é escritor de romances com temática LGBT e foi um dos organizadores de ato contra a censura do prefeito Marcelo Crivella durante a Bienal do Livro de 2019, disse ainda que seu noivo teve que trancar as redes sociais em razão dos ataques. Confira prints no final da matéria.

“É triste a gente saber que a nossa democracia está tão fragilizada a ponto de eu não poder me manifestar politicamente mesmo eu estando em um dos maiores partidos políticos do Brasil, o PSB, ainda mais em uma capital”, declarou. O sargento afirma que a manifestação de apoio do deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) à pré-candidatura fez com que os ataques aumentassem.

“Isso fez com que meu nome chegasse nas máquinas de fake news do Twitter”, declarou. Além de possíveis robôs com contas ‘123456’, ele lamenta que seja alvo de pessoas das próprias Forças Armadas. “As Forças Armadas são reguladoras da Constituição, que prevê a liberdade de expressão”, completou.

Em meio a esses ataques, uma sindicância foi aberta na Marinha. Segundo o Regulamento Disciplinar para a Marinha, processos de sindicância são abertos para “maiores esclarecimentos sobre contravenção”. Além disso, “durante o período de sindicância, o contraventor poderá ficar detido na OM ou em qualquer outro local que seja determinado” e  “podem ser mantidos incomunicáveis”. Essa restrição pode impedir o lançamento da candidatura de Uchiha, que está previso para o dia 16 de setembro, em convenção do PSB.

Quando questionado sobre os termos da sindicância, que corre sob sigilo, Uchiha preferiu não se manifestar e apenas afirmou que irá passar por audiência na segunda-feira (14). O processo teria sido iniciado no início de setembro, há 2 meses das eleições de novembro. Uchiha entraria de licença das funções no dia 16, quando teria a filiação registrada e viraria candidato oficialmente.

Fórum entrou em contato com a assessoria de comunicação da Marinha questionando sobre a sindicância e se há correlação dela com os ataques virtuais. Esse espaço está aberto.

Confira alguns dos ataques sofridos por Uchila:

” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />
” alt=”” aria-hidden=”true” />

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *