Sem uma base sólida novas derrotas virão

Com a cabeça focada em armas e assuntos do gênero, o presidente Bolsonaro não se interessou até agora pela montagem de uma base política de sustentação no Congresso Nacional. Isso tem levado o governo a sucessivas derrotas até mesmo na votação de requerimentos pela convocação de autoridades. Foi o que ocorreu na última quarta-feira com um requerimento do deputado Orlando Silva (PCdoB) convocando o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para dar explicações à Câmara sobre o corte de 30% no orçamento das universidades federais. A rigor, esse convite deveria ser encarado com normalidade, pois é dever de qualquer ministro dar explicações aos representantes do povo sobre os assuntos de sua pasta.

No caso em tela, entretanto, os deputados não aprovaram o requerimento com essa visão, e sim para mandar um “recado” ao governo de que continuam insatisfeitos por não estarem indicando afilhados políticos para compor a máquina governamental. Tanto isso é verdade que o placar foi acachapante: 307 votos pela convocação do ministro e apenas 82 pela não convocação. Ou Bolsonaro se apressa para constituir uma base orgânica de sustentação – partidos interessados em compor essa base é o que não faltam – ou vai amargar novas derrotas ao longo deste ano. (Inaldo Sampaio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *