Sindicatos da rede municipal protestam contra aprovação de projeto referente a Reforma da Previdência, em Juazeiro; veja vídeo

Da Redação

Foi realizada nesta terça-feira (21) no auditório da APLB-Sindicato, em Juazeiro, assembleia geral com todas as representações sindicais ligadas ao município. Na pauta foi discutido o projeto de reforma da previdência dos servidores que foi aprovado na Câmara Municipal no último dia 10.

Gilmar Nery

“Em pleno recesso, recebemos um presente de grego por parte da administração municipal quando levou à câmara um projeto que eleva a alíquota dos servidores que são ligados ao Instituto de Previdência de Juazeiro (IPJ) de 11% para 14%. O executivo tomou uma decisão traidora por não consultar antes os conselhos deliberativo e fiscal sem antes passar pelo conhecimento e discussão  com os trabalhadores. A APLB é contra o que aconteceu porque isso trará prejuízo para os trabalhadores”, desabafou o diretor da APLB-Sindicato, Gilmar Nery.

O vereador e servidor público municipal, Allan Jones (PTC) também se fez presente na assembleia. “Como servidor e membro da câmara municipal não poderia deixar de está presente neste evento. Assim que tomei conhecimento do fato levei à publico, e assim não poderia ser diferente, e vi pela primeira vez em minha vida uma reforma administrativa ser colocada sem discursão. Agora quero saber que governo é esse que se diz democrata, comunista e se comporta dessa maneira contra a classe trabalhadora. Este projeto veio de goela abaixo, sendo uma medida arbitrária, com os conselhos não sendo consultados afrontando o estatuto do  instituto de previdência, sendo que esta lei é passível de ser anulada na justiça “, argumentou o vereador.

Allan Jones

“Este projeto aprovado pela câmara foi uma aberração. Esta lei é ilegal, nula de pleno direito, e cada categoria de forma legal  buscará anular esta lei através da justiça. Esta lei passa valer a partir do dia 1º de maio -0 dia do trabalhador – onde todos nós estamos recebemos  em pleno ano eleitoral este presente de grego”, desabafou.

Allan concluiu afirmando que não solicitou o pedido de vista ao projeto porque houve uma “discursão  de representantes do poder executivo com as categoria representadas, e naquele momento inciou a votação do projeto e não se podia fazer nada a não ser votar contrário, e nessa forma estou com a consciência tranquila. E caso tivesse submetido ao pedido de vista, o presidente da mesa colocaria a proposta em votação na plenária, e mesmo assim venceria porque tem maioria. Ainda assim, tivemos seis votos contrários”.

Luiz Alberto

Por sua vez o presidente do Sinserp, Luiz Alberto se mostrou indignado com a aprovação do projeto. “Nesta assembleia o que se viu foi o servidor revoltado  com a atitude tomada pelo governo municipal porque não houve respeito aos trabalhadores por parte do executivo juntamente com o legislativo. O governo do estado, que é aliado do governo municipal, tomou uma decisão honrosa em ouvir a categoria dos servidores, sendo que nesta assembleia os servidores se mostraram indignados com apostura tomada pelo executivo municipal. Agora cabe a direção de cada sindicato entrar com ação na justiça para que possa impedir a vigência da aprovação desse projeto”.

Estiveram presente na assembleia: Ari Carvalho, diretor do Sindae; Ronivaldo Ferreira, diretor do Sintrab-Saúde; Rozinaldo Alves, representando a ASSOGESTRAM; Wilson Antonio de Carvalho, a AGMS; Gilmar Nery, a APLB-Sindicato; e o Professor João Regis Amorim, representando a Associação dos Servidores Aposentados e Pensionistas do Município de Juazeiro.

Galeria de fotos

Professor Arnóbio
Wilson Antonio de Carvalho, represente da AGMS
Rozinaldo Alves, represente ASSOGESTRAM
João Regis Amorim, representante Associação dos Servidores Aposentados e Pensionistas do Município de Juazeiro
Ronivaldo Ferreira, representante Sintrab-Saúde
Ari Carvalho, diretor do Sindae
Gabriel Arcanjo, diretor do Sinergia na Bahia
Categoria presente durante assembleia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *