Sport vacila na bola parada e Libertad vence time rubro-negro por 2 a 1

Resultado tira equipe rubro-negra da Copa Sul-Americana

ImageProxy (22)
A desvantagem considerável no placar, a decisão de poupar quase todos os titulares e o discurso adotado pela cúpula leonina diminuíram consideravelmente o interesse do público pelo jogo de volta entre Sport e Libertad. Ainda assim, os rubro-negros que se deslocaram até a Arena

Pernambuco chegaram a acreditar que a virada seria possível. Pelo menos, até os paraguaios enterrarem qualquer esperança, marcando dois gols em poucas das únicas vezes em que se arriscou no ataque. Tudo em lances de bola parada. No fim, o placar ficou no 2 a 1. Agora, resta saber qual será a postura do time no restante da Série B, sem outra competição para “atrapalhar.”

A resultado favorável aos paraguaios em Luque obrigou os rubro-negros a tomarem a iniciativa do confronto. E mesmo com tantos reservas, o Leão conseguia valorizar a posse de bola, trocando passes curtos entre as intermediárias. Em um desses lances, o atacante Marcos Aurélio ganhou duas vezes na dividida e arriscou um chute rasteiro na entrada da grande área, obrigando Muñoz a espalmar a bola para escanteio.

A falta de entrosamento, porém, acabava por atrapalhar o desenvolvimento de algumas jogadas. Entre os que sentiam mais a falta de ritmo, estavam o lateral esquerdo Pery e o volante Chumacero. A dupla abusou de errar passes bobos, comprometendo tanto as jogadas ofensivas quanto as defensivas. Tanto que bastou o boliviano entrar no jogo para que o time pernambucano crescesse consideravelmente de produção.

Mas em um daqueles momentos que corroboram a máxima, o Libertad precisou somente de uma chance para praticamente colocar um ponto final no sonho leonino de reverter a desvantagem. Aos 41 da etapa inicial, Recalde desviou um cruzamento no primeiro pau e Gonzalez tocou de cabeça no rebote, matando o goleiro Saulo. O revés e a forte chuva esfriaram o ânimo da torcida que começava a jogar com a equipe.

Mas a resposta foi rápida. Na volta do intervalo, o Sport pressionou a saída do Libertad e conquistou um escanteio no primeiro minuto. Na cobrança, a zaga paraguaia não conseguiu cortar e Aílson aproveitou o rebote para deixar tudo igual. Mas sequer houve tempo para a torcida se animar. Na primeira chance que teve após o empate, o Libertad voltou a explorar um dos maiores defeitos do Leão. Em nova cobrança de falta, González subiu mais alto e desviou de cabeça, marcando seu segundo gol. O quarto do Libertad contra os pernambucanos. O quarto em jogada de bola parada. Uma despedida melancólica da competição que o Leão nunca fez questão de participar.

 Ficha do jogo

Sport 1
Saulo; George Lucas, Oswaldo, Ailson e Pery; Anderson Pedra (Sandrinho), Chumacero, Patrik Silva e Camilo; Marcos Aurélio (Balotelli) e Nunes. Técnico: Geninho.

Libertad 2
Muñoz; Moreira, Benítez, Gomez e Mencia; Sergio Aquino, Claudio Vargas, Molinas e Jorge Gonzalez (Samudio); Recalde (Bareiro) e Montenegro. Técnico: Pedro Sarabia.

Local: Arena Pernambuco. Árbitro: Dario Ubriaco (URU). Assistentes: Carlos Pastorino e Marcelo Costa (URU). Gols: Aílson (S) e Gonzalez (2x) (L). Cartões amarelos: Patrik Silva, Oswaldo, Pery (S), Benitez e Samudio (L). Público e renda: não divulgados.

Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *