Tortura de 70: caso volta a ser analisado na Justiça

Caso da única sobrevivente da Casa da Morte na ditadura volta a ser analisado na Justiça

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

Um dos casos mais emblemáticos de tortura na ditadura militar voltará a ser analisado pelo TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) nesta quarta (14): nele, um sargento reformado é acusado de sequestrar e estuprar Inês Etienne Romeu na Casa da Morte, em Petrópolis, no Rio, na década de 1970.

Etienne foi a única sobrevivente entre os presos políticos levados à casa, que funcionava como centro de tortura.

Nos relatos, Etienne, que morreu em 2015, acusa o sargento reformado Antônio Waneir Pinheiro de Lima. Ele diz que era o caseiro do imóvel, esteve com ela —mas nega os crimes.

A Justiça do Rio, em primeira instância, arquivou a denúncia, invocando a Lei de Anistia.

O desembargador Paulo Espírito Santo seguiu o mesmo entendimento. A desembargadora Simone Schreiber, ao pedir vista, em julho, sinalizou que divergirá dele. O caso será analisado ainda por um terceiro magistrado, Gustavo Arruda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *