Três cidades baianas criam 23 mil empregos; Juazeiro fica de fora

Três cidades baianas criam 23 mil empregos

Kleyzer Seixas

 
  • Feira de Santana, Lauro de Freitas e Vitória da Conquista estão entre os municípios baianos que mais

Localizadas em regiões distintas da Bahia, as cidades de Feira de Santana, Lauro de Freitas e Vitória da Conquista têm em comum o crescimento econômico acima da média nacional. Esses municípios estão entre os  48 apontados pelo Ibope Inteligência como aqueles que, de 2004 a 2010, cresceram 153%, enquanto o PIB nacional aumentou 94%. Nos últimos cinco anos,  geraram cerca de 43,8 mil empregos, com aumento de 70% de novos postos de trabalho. E a expectativa é  continuar crescendo. Para 2014, a previsão é que, juntas, elas gerem mais 23 mil novas oportunidades.

Entre os motivos para o crescimento destacam-se a elevação do poder aquisitivo da população e a localização estratégica desses municípios. Feira, por exemplo, é entrecortada por três importantes rodovias – BRs 324, 116 e 101- e tem em seu entorno mais de 20 cidades-satélite que utilizam seus serviços. Lauro de Freitas também ocupa  local de destaque, entre Salvador e o litoral norte. E Conquista está situada em um entroncamento que liga o norte ao  sul da Bahia, por meio da BR-116.

Nesse esteio de desenvolvimento, a bola da vez  é o setor de serviços, responsável por 54% do PIB de Feira de Santana, 85% do de Conquista e 66% do Lauro de Freitas. As áreas de educação e saúde estão entre os principais  destaques, com a criação e ampliação de unidades  médicas mais avançadas, o que evita o deslocamento da população para a capital, em busca de atendimento especializado, e universidades públicas e faculdades particulares, como o Instituto Federal de Tecnologia, a Ufba e a  Unime, dentre outras.

O estudo do Ibope identificou ainda que as 27 capitais brasileiras, apesar de representarem 32,7% do potencial de consumo, estão perdendo força ao longo do tempo. Em contrapartida, as cidades do interior apresentam maiores oportunidades de crescimento, sobretudo do Nordeste, segundo Fabiana Furquim, diretora de contas do Instituto Nielsen. 

Novos investimentos
Atualmente, 64% do poder de consumo no Brasil concentra-se nas cidades médias. Por isso, não só pequenos empreendedores como grandes marcas têm apostado na interiorização. Em Feira, o grupo Pão de Açúcar inaugurou em outubro o Assaí Atacadista, que gerou 250 empregos diretos e 250 indiretos. Um dos moradores que aproveitaram a chance para mudar de trabalho e aumentar em 40% o salário foi Noel Bacelar, que ocupa a função de chefe de depósito. “Queria uma  nova oportunidade”, conta.

E os investimentos não param aí. Enquanto em Lauro de Freitas serão construídos dois  mercados, um call center e um centro odonto-médico, Feira realizou chamada pública para estudos de implantação de centros de logística,  de abastecimento e  administrativo, além da ampliação do aeroporto.  Já Conquista tem em seus projetos a criação de novo aeroporto, um shopping,  centro logístico, duas adutoras e  uma barragem.

O município de Juazeiro, que tanto é propagandeado na mídia regional, ficou de fora da lista.

Com informações de A Tarde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *