UPAE/IMIP de Petrolina trabalha o Setembro Amarelo com funcionários, colaboradores e usuários

A Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) está realizando, este mês, uma série de ações em prol do Setembro Amarelo – campanha de prevenção ao suicídio.
As atividades tiveram início com a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), que realizou um momento de sensibilização através da distribuição dos laços amarelos e muito diálogo.
“O laço é o símbolo da campanha e com ele nós começamos já convocando a todos para participar do movimento em prol da vida”, esclarece a presidente da CIPA, Síngryd Lima.
Em seguida, a equipe do serviço social realizou um ciclo de palestras para os pacientes, usuários e acompanhantes. “A gente faz uma abordagem simples, direta e humanizada. O suicídio é uma questão de saúde pública que mata 1 pessoa no mundo a cada 40 segundos.  Então, todos nós precisamos fazer a nossa parte”, ressalta a assistente social, Cinthya Souza.
Nesta quarta-feira (11) foi a vez da equipe abordar os jovens que fazem parte do projeto Boa Visão e passam pelo oftalmologista na UPAE. “A nossa roda de conversa hoje foi muito produtiva e houve uma grande participação dos adolescentes. Os índices têm aumentado bastante nessa faixa etária e nós precisamos ter uma atenção maior com esse público”, considera a supervisora do serviço social, Nazaré Cunha.
Todos os anos morre um milhão de pessoas por suicídio no mundo, algo em torno de 1 morte a cada 40 segundos. Paralelo a isso, ocorrem entre 10 e 20 milhões de tentativas de suicídio por ano. Ou seja, por cada pessoa que morre, outras vinte tentam o mesmo caminho.
A Organização Mundial de Saúde estima que o suicídio é a 13ª causa de morte no mundo, sendo uma das principais entre adolescentes e adultos até aos 35 anos (a taxa de suicídio é maior nos homens do que nas mulheres).
A boa notícia é que o suicídio pode ser evitado em mais de 90% dos casos e a prevenção é fundamental para reverter essa situação, garantindo ajuda e atenção adequadas.
A prevenção ao suicídio passa pelo tratamento médico, farmacológico e acompanhamento psicoterápico. Os suportes social e familiar também são fundamentais para a recuperação da pessoa que precisa de ajuda.  A capacitação dos profissionais de saúde, no sentido de reconhecerem e identificarem os fatores de risco, também são importantes aliados.

“E é nesse sentido que nós pretendemos atuar: Na capacitação e educação em saúde”, encerra Nazaré, já informado que as atividades seguem até o final de setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *