Usina da Pedra cessa vertimento

O Reservatório da Usina da Pedra, da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), localizada em Jequié (BA), atingiu, no último final de semana, cerca de 62% de seu volume útil. Devido à previsão meteorológica indicar ocorrência de chuvas fracas, na Bacia Hidrográfica do Rio Contas, a vazão liberada será reduzida hoje (30/11), de 150 metros cúbicos por segundo (m3/s) para 60 m3/s, com a finalização do vertimento, devendo permanecer neste valor até nova avaliação.

A Bacia do Rio de Contas possui tempo de resposta muito rápido às ocorrências de chuvas, com consequente elevação de vazões que podem vir a ocasionar a formação de cheias repentinas e de pico elevado.

Desta forma, a operação do Reservatório da UHE Pedra, com o aumento gradual das vazões defluentes, iniciado no último dia 18, foi efetuada obedecendo às regras operativas vigentes, com o objetivo de preservar a segurança da barragem e da população ribeirinha, uma vez que a região encontra-se no início do período de chuvas, que se estende até o final de abril, devendo ser resguardado um volume vazio no reservatório para amortecimento de possíveis cheias.

Durante este mês de novembro foram registradas chuvas acima da média em toda a rede de postos hidrométricos utilizada pela Chesf na Bacia do Rio de Contas. Entre os dias 18 e 30, foram observadas, no trecho do rio localizado antes do Reservatório da Pedra, vazões da ordem de 600 m3/s nas localidades de Areião e Lagoa do Tamburi. (A Usina da Pedra liberou vazão máxima de 400 m3/s.)

No trecho do rio situado à jusante do reservatório (abaixo do reservatório), foram observadas vazões máximas da ordem de 800 m³/s na cidade de Jequié, e 700 m³/s, na cidade de Ipiaú, ambas na Bahia. Essas vazões, superiores às defluências praticadas na UHE Pedra, foram ocasionadas em virtude da contribuição dos afluentes do Rio de Contas situados após o Reservatório da Pedra.

Uma vez que o período de chuvas na Bacia do Rio de Contas encontra-se no seu início e estende-se até o mês de abril, é de fundamental importância e necessidade que seja fortemente evitada a ocupação de áreas situadas nas planícies de inundação, vez que as vazões podem vir a se elevar novamente, caso venha a ocorrer chuvas que tornem necessária a operação de controle de vazões e/ou cheias no Rio de Contas.

Salientamos, que a UHE Pedra opera dentro de sua normalidade, e que a situação hidrológica está sendo permanentemente avaliada, podendo haver alterações nos valores ora praticados em função da evolução das chuvas e vazões na Bacia do Rio de Contas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *