Vereador Josafá Mota lamenta alta no preço dos combustíveis em Juazeiro e propõe audiência pública para debater o problema

Da Redação do AP

Preocupado com os abusos praticados pelos proprietários de postos de combustíveis em Juazeiro por elevarem o preço do produto, o vereador Josafá Mota (PTC) fez um desabafo na tribuna da Casa Aprígio Duarte nesta terça-feira (21) sobre a situação solicitando providências urgentes.

“Ultrapassou mais uma vez da casa dos R$ 5,00 o valor do preço do litro da gasolina em nossa cidade.  Nestas condições é difícil se produzir em Juazeiro, na Bahia e no Brasil. Ao abastecer meu carro no dia de hoje, peguei a nota fiscal e constatei o que encarece mais ainda o preço é a tributação. Isto tem que ser revisto, repensado  porque a pessoas abastece o valor de R$ 50,00 mas só de tributos o governo leva R$ 22,00 de impostos. Nós que votamos nos deputados federais, temos que apelar para que eles  possam levantar uma bandeira em Brasília para que isso seja revisto”, destacou.

Um dos vereadores usou a parte quando afirmou que em Juazeiro e região existe a cartelização dos proprietários de postos de combustíveis. “Isso é muito antigo, foi realizada audiência pública nesta casa e não houve jeito. Quem tem que tomar providência é o Ministério Público – porque isso é contra a lei”, alertou o vereador Florêncio Galdino (PDT).

Outro vereador que reforçou o discurso foi Anderson da Iluminação (PR). “Quero parabenizar a ação do Procon em nossa cidade, administrado pelo diretor Ricardo Penalva que  aplicou multa nas distribuidoras. Pois a questão de cartel em nossa cidade não é apenas dos postos, mas também das distribuidoras  que estão vendendo o produto a quase R$ 4,50, sendo um valor aproximado ao dos postos de combustíveis”.

O vereador Josafá propôs aos colegas a realização de uma outra audiência pública para se debater a questão. “Vamos ver a possibilidade de se realizar uma audiência publica nesta casa porque está difícil para quem produz frutas nos perímetros irrigados. O produtor também sofre na pele porque o preço alto não está apenas na gasolina, ele está embutido no diesel, gás de cozinha e no álcool. Quando o produtor vende um caminhão de manga   para São Paulo, isso pesa até na hora do frete porque encarece devido a cobrança tributária em quase 50%”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *