Vereador Mitu do Sindicato dispara sobre a falta de água em Juazeiro e faz questionamentos sobre possíveis ‘arrumadinhos’

 

Da Redação

A reportagem do AP recebeu a visita do vereador Mitu do Sindicato (PCdoB) que se mostrou preocupado com o problema da falta de água na sede e interior do município de Juazeiro. “Estou muito preocupado com esta falta de água. Tenho sido procurado por muitos moradores da sede e interior pedindo providências. Sou morador do bairro Tabuleiro, sendo que há oito não sofríamos com a falta de água,  e agora todos os dias estamos passando por problemas, inclusive no bairro vizinho, o Jardim Campestre”.

“Isso sem falar no interior por se encontrar abandonado. O governo Bolsonaro diminuiu a verba para o exército fazer abastecimento nas comunidades. Quem tem condições de comprar uma carrada de água por R$ 240,00, tudo bem, mas quem não tem está passando sede. Nas comunidades do Junco, Alfavaca, Cachoeirinha, Massaroca, Canoa, Juá tem tubulação, mas a água não chega. No distrito de Poções, algumas comunidades estão passando por dificuldades, e até 31 de dezembro de 2020 existia água, e agora por que está faltando água?”, questionou o Vereador.

Mitu lamentou o sofrimento de moradores do distrito de Massaroca. “Recebi a informação que na região de Massaroca para se economizar energia foi reduzido o bombeamento em quatro horas de relógio, isso significa  que para encher novamente toda a tubulação é a hora de desligar novamente o bombeamento. Isso tem dificultado a vida das pessoas”.

Polêmica

“Quero fazer uma pergunta para a direção do SAAE.   Por que até hoje não foi ligado  a adutora que vai levar água  para o Presidio e a Faculdade de Medicina? Será porque tem carro-pipa de aliado da prefeita recebendo para colocar água lá? Eu não quero acreditar que seja por isso. Por que a demora de ligar esta adutora?” cutucou o vereador.

Consumo de água bruta

“99% da água que é distribuída nas áreas irrigadas e de sequeiros  é bruta. São poucos os lugares que tem o tratamento, a exemplo de algumas sedes em distritos. A pessoa é obrigada a consumir porque não tem outra saída. Isso é um perigo para a saúde, mas a preocupação do governo é fazer o arrumadinho deixado parte de seus aliados políticos, e ainda assim, procurando outras pessoas para eleger seus deputado em 2022, e com isso quem vai pagar é a população de Juazeiro”.

Ele concluiu relatando possíveis problemas enfrentados pela administração municipal. “Hoje temos uma cidade suja, cheia de lixo largado nas ruas, escura, sem estradas no interior, sem água, saúde, kits de merenda, educação, perseguição à servidores, no entanto, foi esta gestão que a população de Juazeiro escolheu e está pagando um preço caro. Eu e os outros dois vereadores de oposição não iremos se calar diante de tal situação”.

Em resposta sobre a falta de água na cidade, a diretora presidente do SAAE, senhora Josilene Alixandre afirmou na imprensa que “houve um problema sério com um dos filtros da estação  principal, mas já foi resolvido. Agora estamos trabalhando  em prol de amenizar a falta de água. Conseguimos duas bombas  reservas para a ETA principal e uma para o segundo recalque que fica no Jardim Flórida. Isso significa  que teremos um controle maior na área de manutenção das bombas, e com isso não será necessário parar o sistema  para manutenção de bombas. O sistema do SAAE é antigo, temos poucos recursos, grandes desafios, mas temos nos empenhados em   buscar alternativas   com nossa equipe técnica para mudar esta realidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *