Bolsonaro afronta Moraes, falta a depoimento na PF e irá recorrer ao plenário do STF

Depoimento seria no inquérito sobre vazamento de documentos sigilosos de uma investigação da PF a respeito de ataque hacker ao TSE

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes
Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes (Foto: Adriano Machado/Reuters | Rosinei Coutinho/SCO/STF)

Jair Bolsonaro não cumpriu a ordem do ministro do STF Alexandre de Moraes e faltou ao depoimento marcado na Polícia Federal marcado para 14 horas desta sexta-feira (28). A decisão foi tomada depois de uma série de reuniões com seus ministros da Advocacia-Geral da União (AGU), Bruno Bianco, e da Justiça, Anderson Torres. O depoimento seria sobre vazamento de documentos sigilosos de uma investigação da PF a respeito de ataque hacker ao TSE.

A AGU ingressou, no início da tarde desta sexta, com um agravo regimental ao plenário do Supremo argumentando que, por ser investigado no inquérito, Bolsonaro não seria obrigado a comparecer. O texto alega o chefe de governo tem “direito de ausência”, informa a CNN Brasil.

Bolsonaro está insatisfeito com a decisão e que, a aliados, afirmou estar sendo perseguido por Moraes, que lhe oferece um “tratamento que nunca deu nem a traficante de drogas” e que quer “botar fogo no Brasil e depois colocar a culpa em mim”.

A AGU pedirá que o plenário da Corte permita que Bolsonaro preste depoimento por escrito e que a oitiva seja suspensa até a decisão definitiva.

Bolsonaro ainda teria citado o ex-presidente Michel Temer em sua reclamação a interlocutores: “por que ele deu um tratamento para o Temer e está dando outro diferente para mim?”.

De acordo com a CNN Brasil, Bolsonaro “se recusa” a ser ouvido pela delegada da PF Denisse Ribeiro, que é quem comanda também o inquérito das fake news, das milícias digitais e dos ataques ao sistema eleitoral e urnas eletrônicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.