Bolsonaro ataca decisão de Rosa Weber: “Querem investigar quem mandou o dinheiro”

A convocação de governadores é uma estratégia da base governista, que quer dividir os holofotes e o ônus pelas mais de 479 mil mortes pela Covid-19 imputados a Jair Bolsonaro com os mandatários estaduais

Em encontro com apoiadores na manhã desta quinta-feira (10), Jair Bolsonaro atacou a decisão da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou na noite desta quarta-feira (9) o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), a não comparecer ao depoimento marcado para a manhã desta quinta-feira (10) na CPI do Genocídio.

“Vocês viram a decisão da Rosa Weber sobre o governador do Amazonas?”, indagou Bolsonaro. “‘Se quiser não precisar vir não’. Então querem investigar quem mandou o dinheiro, não quem possivelmente possa ter desviado. E pode ficar quieto também”, emendou.

A convocação de governadores é uma estratégia da base governista, que quer dividir os holofotes e o ônus pelas mais de 479 mil mortes pela Covid-19 imputados a Jair Bolsonaro com os mandatários estaduais.

A decisão da ministra gera jurisprudência e abre precedente para os outros oito governadores convocados a depor na comissão.

Além de Lima, a CPI já aprovou a convocação de Helder Barbalho (PA), Ibaneis Rocha (DF), Mauro Carlesse (TO), Carlos Moises (SC), Waldez Góes (AP), Wellington Dias (PI) e Marcos José Rocha dos Santos (RO). Também foi convocado o ex-governador do Rio Wilson Witzel.

Wilson Lima foi escolhido como primeiro a depor depois da ação da Polícia Federal no último dia 2 no Amazonas. Na ocasião, o governador foi alvo de busca e apreensão em sua casa. O secretário de Saúde do estado, Marcellus Câmpelo teve prisão temporária decretada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *