Com medo do STF, governo Bolsonaro faz “inspeção prévia” em manifestações para evitar faixas pró-golpe

Acossado por denúncias de corrupção e alvo de um inquérito no STF, Jair Bolsonaro vem evitando ser visto ao lado de faixas e cartazes defendendo a intervenção militar ou com ataques às instituições

(Foto: Reprodução | Isac Nóbrega/PR)

Com o governo cada vez mais acuado em função das denúncias de corrupção e em meio a uma crise com o Judiciário, a equipe de Jair Bolsonaro vem realizando inspeções prévias nas manifestações em que o ex-capitão estará presente. O objetivo é evitar que ele seja visto ao lado de faixas e cartazes com ataques às instituições e pedidos de intervenção militar. A participação de Bolsonaro em atos antidemocráticos é alvo de um inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Por isso que ele parou (de ir), hoje vai uma turma antes e olha, se tem (bandeira com pedido de intervenção) manda abaixar. No meio da multidão tem sempre um cara que é radical”, disse o ministro das Comunicações, Fábio Faria, em entrevista a um podcast, de acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

A participação de Bolsonaro em atos antidemocráticos e as constantes ameaças aos Poderes Legislativo e Judiciário, além da divulgação de fake news, resultaram na abertura de um inquérito pelo Supremo Tribunal Federal (STF), cuja relatoria está sob responsabilidade do ministro Alexandre de Moraes. Nesta terça-feira, porém, ele voltou à carga ao afirmar que os demais Poderes da República precisam ter “limite”.

“Cada Poder tem que saber que tem limite. Eu tenho limite, por que o Judiciário não pode ter limite? Tem que ter limite também. É a mesma coisa no tocante ao Legislativo”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *