Grande Rio leva Estandarte de Ouro de melhor escola do Grupo Especial

Carolina Heringer e Carolina Callegari

A Acadêmicos da Grande Rio foi eleita pelo júri do Estandarte de Ouro como a melhor escola do Grupo Especial deste ano. A agremiação também foi premiada em mais três categorias: samba-enredo, puxador e Fernando Pamplona, criada este ano. A escola homenageou o pai de santo Joãozinho da Gomeia, buscando seu primeiro título completamente renovada, com a estreia da dupla de carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora (ex-Cubango). Evandro Malandro foi premiado como melhor puxador.

O puxador Evandro Malandro embalou o público com o samba-enredo “Tata Londirá – o canto do caboclo no quilombo de Caxias”, ambos premiados. A categoria especial Fernando Pamplona, que destaca as criações com poucos recursos, também ficou com a vermelha e branca pela criação de seu abre-alas.

O Estandarte de Ouro é organizado desde 1972 pelo GLOBO, o troféu também tem a participação do jornal Extra. A premiação tem 15 troféus para o Grupo Especial e dois para a Série A, vencidos este ano pela Imperatriz Leopoldinense (melhor escola) e pela Acadêmicos de Santa Cruz (melhor samba-enredo da série A).

Viradouro, segunda escola a desfilar no primeiro dia do Grupo Especial, conquistou o melhor enredo, que viajou até a Bahia, para cantar o empoderamento feminino das Ganhadeiras de Itapuã. Uma das justificativas levantadas para a escolha da escola foi a facilidade de comunicação com o público, dada a facilidade de compreensão do enredo.

Desfile da Viradouro.
Desfile da Viradouro. Foto: RICARDO MORAES / REUTERS

Vila Isabel foi premiada como melhor bateria, sob o comando do Mestre Macaco Branco. No ano passado, ele foi premiado em Revelação. A azul e branco de Noel Rosa cantou a cidade de Brasília.

Portela encerrou o primeiro dia de desfiles com o céu já claro. Nem assim o símbolo da agremiação passou despercebido. A águia, a grande expectativa da agremiação, movia as asas na Avenida e deu o prêmio de inovação. A carnavalesca Márcia Lage explicou que ela foi feita de ferro coberto com espelhos e um tecido de paetês.

-
– Foto: BRENNO CARVALHO / Agência O Globo

Série A

A Imperatriz Leopoldinense ganhou o Estandarte de Ouro de melhor escola da Série A de 2020, reeditando o samba-enredo “O teu cabelo não nega (Só dá Lalá)”, dos compositores Zé Katimba, Gibi e Serjão, com o qual foi bicampeã em 1981. Desta vez, o enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Leandro Vieira, o mesmo da Mangueira, campeão na Estação Primeira no Grupo Especial em 2019. Na primeira edição, o carnavalesco foi Arlindo Rodrigues.

Já o melhor samba-enredo da Série A foi o da Acadêmicos de Santa Cruz, “Santa Cruz de Barbalha – Um conto popular no Cariri Cearense”, dos compositores Samir Trindade, Junior Fionda, Elson Ramires e Rildo Seixas. Pesaram na escolha a bela melodia e a concisão da letra. O Estandarte de Ouro não premia sambas-enredo reeditados.

O Estandarte de Ouro 2020 será entregue no Armazém 1 do Píer Mauá, no dia 13 de março.

Confira o preço dos ingressos:

Inteira – R$ 70

Meia – R$ 35

Mesa quatro lugares – R$ 280

As vendas começarão nesta de quinta-feira (dia 27/2) neste link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *