Nilo critica Bolsonaro, mas diz ser contra processo de impeachment: ‘Economia vai lá para baixo’

Questionado por Mário Kertész sobre a ausência de reações legais contra o presidente, deputado disse acreditar em uma “cortina de fumaça”

[Nilo critica Bolsonaro, mas diz ser contra processo de impeachment: 'Economia vai lá para baixo']
Foto : Matheus Simoni/Metropress

O deputado federal Marcelo Nilo (PSB-BA) fez críticas à condução do governo federal pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido). No entanto, ele declarou que não é favorável ao processo de impeachment proposto pela oposição, em razão de um suposto crime de responsabilidade na convocação de atos contra o Congresso Nacional.

“Sou contra pedido de impeachment nesse momento. Motivo já tem. Dilma e Collor foram cassados por muito menos do que ele está fazendo. Mas não temos politicamente, nesse momento, um pensamento formado de um pedido de impeachment. Com o pedido de impeachment, a economia vai lá para baixo e o país vai parar. Então o que defendo hoje é que instituições como Congresso e STF tenham mais repostas eficazes para enfrentar o presidente da República e dar limites”, disse o deputado, em entrevista à Rádio Metrópole hoje (28).

Questionado por Mário Kertész sobre a ausência de reações legais contra Bolsonaro, Nilo disse acreditar em uma “cortina de fumaça”. “Na realidade, ele desvia atenção da população com suas grosserias. E o que é pior é que hoje temos uma rede social muito forte e a população não está participando e não está tendo noção do momento gravissimo que vivemos”, acrescentou.

Marcelo Nilo lembrou que a Reforma da Previdência foi negociada para ser aprovada com liberação de, no minímo, R$ 20 milhões em emendas para parlamentares, negociadas às claras, no cafézinhos por Onyx Lorezoni, então ministro da Casa Civil. “Lembra daquela proposta de menos Brasilia, mais Brasil? Não existe nada isso. O que existe é um governo fechado. Fico triste quando vejo Regina Duarte defender no seu Twitter, defender o fechamento do Congresso Nacional. Fico muito trsite. Acho que não aguentamos três anos”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *