Trabalhadores menos escolarizados foram os que mais perderam renda durante a pandemia

Dados do PNAD compilados pela consultoria IDados revelam que os trabalhadores que não completaram ensino médio perderam até 25% da renda. “É o lado sombrio de toda crise econômica”, diz economista

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), organizados pela consultoria IDados, revelam que trabalhadores menos escolarizados – que não completaram o ensino médio – perderam até 25% da renda durante a pandemia do coronavírus.

Segundo o estudo, divulgado pelo jornal O Estado de S.Paulo nesta segunda-feira (28), até maio, a perda de renda obtida pelo trabalho era de 18% na média de todas as escolaridades. Em junho e julho, com a retomada gradual da economia, a queda foi aliviada, primeiro para 17% e, em seguida, para 13%.

“Desde o início da pesquisa, em 2012, a maior queda nesses meses foi de 3%, em 2015”, afirmou o economista Matheus Souza, da IDados. “É o lado sombrio de toda crise econômica: quem estudou menos é mais vulnerável no mercado de trabalho, o primeiro que teve o contrato suspenso e redução de jornada”, ressaltou.

Segundo o estudo, mesmo os brasileiros que têm ensino superior tiveram perdas de 14% a 10% entre maio e julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *