Universidade do Canadá diz que Paolo Zanotto, membro do ministério paralelo, não será professor

O British Columbia Institute of Technology informa que pedido para visita de “curto prazo” e “não docente” de Paolo Zanotto “está pendente”

Virologista Paolo Zanotto, que defendeu a criação de um "gabinete das sombras" na gestão da pandemia pelo governo
Virologista Paolo Zanotto, que defendeu a criação de um “gabinete das sombras” na gestão da pandemia pelo governo (Foto: Reprodução)

O canadense British Columbia Institute of Technology (BCIT) informou, na noite desta quarta-feira (9), pelo Twitter, que a solicitação feita pelo virologista Paolo Zanotto de morar dois anos no país para ser professor visitante na instituição está “pendente”.

“Paolo Zanotto não é professor adjunto do BCIT. Esse indivíduo contactou o BCIT para organizar uma visita acadêmica de curto prazo, não remunerada e não docente, referente a pesquisa relacionada à purificação da água. Visitas internacionais dessa natureza estão sujeitas a processos internos e externos de verificação do BCIT – incluindo a aprovação da imigração do Canadá. O pedido está pendente”, afirmou o perfil, em inglês, de acordo com o Metrópoles.

O virologista Paolo Zanotto está no alvo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 após ter aparecido que revela a existência de um “ministério paralelo”, criado para orientar Bolsonaro durante a gestão da pandemia.

Zanotto recomendou a Bolsonaro  “extremo cuidado” com as vacinas contra a Covid-19.

Ao publicar a nota de esclarecimento, a universidade canadense reforçou a defesa da ciência e o uso de imunizantes aprovados na luta contra a Covid-19. “A BCIT apoia e incentiva fortemente o uso de vacinas aprovadas, citadas por autoridades de saúde canadenses e pela Organização Mundial da Saúde como uma de nossas ferramentas mais fortes na luta contra a Covid-19”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *