Alcolumbre planeja barrar nomeação de André Mendonça para o Supremo

Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), ex-presidente do Senado, não desistiu de impedir que André Mendonça assuma a vaga no STF. Presidente da estratégica Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), ele pode criar obstáculos quase intransponíveis ao indicado de Jair Bolsonaro

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e advogado-geral da União, André Mendonça
Presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e advogado-geral da União, André Mendonça (Foto: Agência Brasil)

“A recondução de Augusto Aras ao cargo de procurador-geral da República, anunciada ontem, eliminou a alternativa preferida do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)  para tentar impedir a escolha de André Mendonça para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal aberta com a aposentadoria de Marco Aurélio Mello, mas  isso não significa que Alcolumbre desistiu de impedir o atual advogado-geral da União, seu desafeto e candidato de Jair Bolsonaro, de assumir a vaga”, escreve a jornalista Malu Gaspar no Globo

Segundo a jornalista, Alcolumbre articula há pelo menos um mês um plano B: tentar convencer os senadores que não se empolgam com a indicação de Mendonça a se engajar numa campanha pela nomeação de ninguém menos do que o próprio Rodrigo Pacheco, o atual presidente do Senado.

Malu Gaspar lembra que Alcolumbre é o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), comissão na qual o nome de Mendonça precisa ser avaliado antes de ser submetido ao plenário do Senado, onde precisa de 41 dos 80 votos para ser aprovado. Alcolumbre estaria magoado com Bolsonaro pelo fato de não ter sido nomeado para um ministério depois de sair da presidência do Senado, como esperava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *