Dia do Professor marcado com sessão solene e homenagens a quase 50 profissionais em educação em Petrolina

A Medalha de Honra ao Mérito Educacional Professora Isabel Cristina foi entregue pela primeira vez pelos vereadores de Petrolina, no sertão de Pernambuco, determinada por Decreto Legislativo,  proposto pela professora e sindicalista, vereadora por três mandatos pelo partido dos trabalhadores, Cristina Costa. Cristina, que é relatora da Comissão de Educação da Casa Plínio Amorim, faz homenagem a educadora, ex vereadora, vice prefeita de Petrolina e ex deputada estadual pelo PT, Isabel Cristina de Oliveira.

Numa sessão solene com casa cheia, a Philarmônica 21 de Setembro abriu a solenidade com a execução das canções preferidas de Isabel Cristina, em homenagem aos professores. Cada vereador poderia homenagear dois profissionais em educação.  Representantes das Universidades públicas e privadas,  escolas públicas e privadas , e sindicatos da categoria participaram da sessão especial.

Um momento em que a Casa Plínio Amorim compartilha uma medalha que reconhece os profissionais da educação, a vereadora Maria Elena Alencar, presidente da Comissão de Educação, é preciso que esse reconhecimento seja pauta constante do poder legislativo. “que essa pauta seja permanente, a pauta da valorização do professor, da sua qualificação do professor. O município tem essa grande responsabilidade, dentro da reflexão que o dia sugere que a educação tem está em qualquer programa de governo seja municipal, estadual ou federal.” Declarou Elena.

A mãe de Isabel Cristina Dona Avelina Higina, ocupou assento de honra na mesa diretora, junto com a sobrinha de Isabel Cristina, Isabela Oliveira que fez o discurso de agradecimento pela lembrança da tia, dando nome a medalha. A vereadora Cristina Costa,  amiga de toda a vida da ex deputada Isabel Cristina, explicou que a medalha é uma dupla homenagem. Ao profissional em educação, e a memória de Isabel Cristina, que soube viver a labuta de tantos anos em sala de aula e na luta da militância sindical. “nada melhor, do que levar o nome Isabel Cristina, professora de alma, que sempre me pedia para não deixar a história dela morrer, uma professora está sempre viva na memória daqueles a quem ajudou a formar. Aqui mesmo na Casa Plínio Amorim estão muitos dos ex alunos de Cristina, que contribuem com o desenvolvimento de Petrolina, e mantém viva a história dela. Essa casa é parte da história dela, assim como Petrolina. Isabel Cristina é eterna.” Completou Costa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *