Privatização depende de aval dos acionistas e de julgamento do TCU

O governo federal quer concluir o processo no segundo trimestre de 2022

Redação
Foto: assessoria/Eletrobras
Foto: assessoria/Eletrobras

 

O Congresso aprovou em junho do ano passado a proposta (MP 1031/2021), que permite a desestatização da Eletrobras.

O governo federal quer concluir o processo no segundo trimestre de 2022, mas há duas etapas pendentes: o aval da assembleia dos acionistas, prevista para fevereiro, e o julgamento do Tribunal de Contas da União, iniciado no ano passado e que deve ocorrer até março deste ano.

Os ministros do TCU (Tribunal de Contas da União) levantaram várias dúvidas sobre o processo. Questionam, por exemplo, segundo a Agência Senado, o impacto real da privatização na tarifa de energia elétrica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.