Joel de Hollanda faz homenagem a Marco Maciel

Emocionante carta de Joel de Hollanda a Marco Maciel, que hoje completa 79 anos e está afastado da política acometido por um processo avançado de Alzheimer.

CARTA A UM AMIGO

Caro amigo,

Hoje, dia do seu aniversário, falam -me de sua ausência. Digo que o indesejável pássaro negro alemão posou no seu destino. E que apagou com suas tenebrosas asas de carvão o radiante sol da sua mente. Mas digo também que você nunca estará ausente.

Enquanto restar um só fiapo de gratidão no coração dos brasileiros e dos pernambucanos em particular, você estará presente.

Sua figura retilínea, afável, educada, aparentemente tão frágil, está viva na nossa retina.

Seu firme caráter; seu modo sempre atencioso de tratar os humildes; sua lealdade aos amigos; seu inarredável compromisso com Pernambuco; sua fidelidade aos princípios, valores e ideais democráticos; seu respeito aos adversários; sua imensa capacidade de diálogo na busca de consensos, tudo isto pode ser reconhecido pelos olhos de quantos queiram enxergar, sem cacoetes partidários ou ranços ideológicos, a grandeza sem alarde do homem simples, servidor público por excelência, Marco Maciel.

Sim, amigo, mais do que sua excepcional vocação política, você dedicou sua vida ao Brasil, a Pernambuco e aos pernambucanos.

Durante mais de sessenta anos exerceu com ética, integridade e honestidade os mais importantes cargos públicos do país.

E o fez, não pelo apequenado desejo  de desfrutar do poder e das suas reconhecidas benesses. Mas para cumprir sua missão missionária de exercitar a política como instrumento de promoção de igualdade, de justiça e do bem comum.

Você não está ausente.
Você está fazendo falta.
Muita falta.

Mando-lhe agora algumas notícias sobre o atual cenário político do nosso país:

Vivemos monumental seca de patriotismo.

Os interesses individuais, corporativos e partidários se sobrepõem escancaradamente aos elevados objetivos da nossa pátria.

A política virou caso de polícia.
Nunca na história deste país tantos políticos estão presos ,condenados , são réus ou estão indiciados.

A verdadeira política deu lugar à “fulanização das questões”. Colocam diariamente “o carro adiante dos bois”. Ou botam o “depois antes do antes”. Esquecem que “quem tem prazo não tem pressa” e decorridos apenas seis meses de governo já discutem reeleição…

Nesse deplorável ambiente de primarismo, de improvisação, de debochada promiscuidade entre o público do privado ,onde encontrar líderes como você que realizaram o extraordinário trabalho de engenharia política que viabilizou a transição do regime autoritário para a democracia, a Lei de Anistia, o movimento Diretas Já, a Nova República?

Por isso, repito, você não está ausente. Você está fazendo falta. Muita falta.

Agora peço ao querido amigo um favor. Diga como me livrar desse doloroso parafuso fincado no meu coração e que o poeta Antônio Pereira assim descreveu:

“Saudade é um parafuso/
que quando a rosca cai/
só entra se for torcendo/
por que batendo não vai./
Mas quando enferruja dentro/
nem distorcendo não sai”.

Parabéns pelo aniversario!

E que o bondoso Deus lhe cubra de muitas graças.

Você as merece.

Forte abraço para você, Ana Maria, Cristiana, Gisela e João Mauricio.

Joel de Hollanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *