Bolsonaro ‘sofreu ameaça de Carluxo’ durante campanha, revela livro


O livro ‘Tormenta – O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos’, da experiente jornalista Thaís Oyama, que será lançado no próximo dia 20 de janeiro, revela as tensões internas e as manobras políticas de bastidores no primeiro ano do mandato do presidente Bolsonaro (sem partido).

Uma das revelações vazadas pelo livro relata que, durante a campanha presidencial, Carlos Bolsonaro ameaçou ir embora para nunca mais voltar, caso o pai insistisse em nomear Gustavo Bebianno como ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

Bebbiano foi nomeado e durou apenas um mês no cargo, foi um alvo permanente da artilharia de Carlos Bolsonaro.

Em protesto após a nomeação de Bebianno, revela Thaís, Carluxo cortou a comunicação com o pai e, mais uma vez, Bolsonaro ficou “fora de si” com o sumiço dele. O livro revela que Bolsonaro “teme a instabilidade emocional do filho”, que ele chama na intimidade de “zero dois”.

De acordo com o livro, Carlos Bolsonaro é “usuário de medicamentos para estabilização de humor” e o pai teme que ele “faça uma besteira”.

A obra narra também que presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria mandado o ex-assessor Fabrício Queiroz faltar a um depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) sobre o caso das chamadas “rachadinhas”. Queiroz, um ex-PM, foi assessor do senador Flávio Bolsonaro (sem partido) quando ele ainda era deputado estadual no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *