Duterte autoriza fuzilar quem não obedecer a quarentena nas Filipinas


O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, afirmou em discurso em cadeia de televisão na quarta-feira (1) que as pessoas que romperem a quarentena contra o novo coronavírus poderão sofrer graves consequências, inclusive o fuzilamento pelas forças de segurança do país.

“Está ficando cada vez pior. Por isso, eu aviso vocês para a seriedade do problema e vocês devem ouvir. Não hesitarei. As minhas ordens para a polícia e para os militares são que, se houver problemas e se houver uma ocasião em que tenham de ripostar e as suas vidas estejam em perigo, os matem a tiros. Você entendeu? Mortos ao invés de causar problemas. Vou enterrar vocês”, declarou o presidente, um político autoritário de extrema-direita.

No discurso, Duterte ainda afirmou que os profissionais da saúde “têm sorte de morrer pelo país”, em meio à pandemia.

“Há médicos, enfermeiros e assistentes que morreram. Eles foram os que morreram ajudando os outros. Eles têm tanta sorte. Eles morreram pelo país. Essa deve ser a razão pela qual morremos. Seria uma honra morrer pelo seu país, garanto isso a vocês”, declarou.

As Filipinas registra 96 mortes e 2.311 casos confirmados ao longo das últimas três semanas, com centenas de novas infecções apontadas diariamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *