Eduardo Campos diz que PSB e Rede lançarão plataforma de governo

Tércio Amaral

Governador inaugurou ambultório materno-infantil no Hospital Barão de Lucena no Recife. Foto: Aluisio Moreira/SEI

 (Aluisio Moreira/SEI

)
Governador inaugurou ambultório materno-infantil no Hospital Barão de Lucena no Recife. Foto: Aluisio Moreira/SEI

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), virtual candidato à Presidência da República nas eleições de 2014, dará mais um passo na consolidação de seu projeto nacional. Nesta segunda-feira (25), após a inauguração do novo ambulatório do hospital Barão de Lucena, no bairro da Iputinga, no Recife, o socialista disse que seu partido e a Rede deverão lançar, em São Paulo, na próxima quinta-feira (28) uma plataforma de governo. A novidade é que o conteúdo ainda passará por “transformações”, já que será aberto na internet para sugestão de eleitores e demais interessados.

“O objetivo da nossa plataforma, na quinta-feira, é a gente poder lançar um documento de referência, que vem daquele debate que fizemos há poucos dias em São Paulo e, ao mesmo tempo, ter um instrumento ágil que possa envolver os brasileiros e brasileiras das mais diversas regiões”, disse o governador. A aliança do PSB com a Rede deu um novo ânimo ao projeto presidencial do pernambucano para 2014. No discurso de filiação da ex-ministra Marina Silva (ex-PV) no começo de outubro, as duas lideranças enfatizaram que os partidos estariam no processo de aprendizagem e troca de propostas.

Mesmo não admitindo publicamente sua candidatura presidencial, Campos já fala em programa de governo. A novidade é que o conteúdo poderá ser transformado até a eleição do próximo ano. “Nosso pessoal desenvolveu uma plataforma que vai permitir, daqui pra frente, sobre o programa de governo ela possa se dá na internet, com uma contribuição remota, de pessoas da sociedade, da academia, do movimento social, que vão poder sugerir, apontar um olhar de cada região do Brasil, de cada recanto do Brasil. Por isso será importante para a construção do programa do governo do PSB e da Rede”, completou Campos.

Reunião para “aparar as arestas”

Dirigentes do PSB e da Rede mantiveram um encontro neste último sábado (22), na cidade de São Paulo, para aparar as arestas e tentar unificar o discurso. O problema foram algumas declarações dadas por membros da Rede, que estaria criando um “mal-estar” com a possível aliança com o PSDB paulista. A Rede defende uma candidatura própria, mas lideranças do PSB preferem apoiar a reeleição do governador tucano Geraldo Alckmin.

O encontro também serviu para debater quatro temas para o programa de partido, como a reforma política e econômica, qualidade de vida, desenvolvimento urbano e sustentável e desenvolvimento social. Depois do fracasso na tentativa de criar a Rede Sustentabilidade para a disputa de 2014, o grupo ligado a ex-senadora Marina Silva decidiu, ainda, fazer uma consulta interna para definir qual o melhor momento para criar a nova legenda. No momento a Rede está “embarcada” no PSB. O partido também continua coletando assinaturas para apresentar à Justiça Eleitoral.

Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *