Estudante denuncia assédio dentro de faculdade particular

Segundo a vítima, o assédio ocorreu quando ela estava com uma colega num corredor da faculdade e outro jovem começou a se masturbar

As alunas prestaram queixa na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, área central do Recife / Foto: Reprodução/ Google Street View

As alunas prestaram queixa na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, área central do Recife
Foto: Reprodução/ Google Street View
JC Online

Uma universitária denunciou à Polícia ter sido assediada por um colega dentro das dependências de uma faculdade particular no centro do Recife, nesta quarta-feira (10). Segundo informações da Delegacia da Mulher, localizada em Santo Amaro, a jovem estava com uma amiga em um corredor da instituição quando um estudante começou a se masturbar.

Ainda de acordo com a polícia, a estudante estava distraída e não notou o que estava acontecendo, mas a colega que a acompanhava, ao perceber, gritou e chamou a atenção das pessoas que estavam no local para o assédio. Os seguranças do Centro Universitário Joaquim Nabuco (Uninabuco), localizado no bairro de Santo Antônio, foram acionados e levaram os alunos para a coordenação.

A assessoria de imprensa do Grupo Ser Educacional, responsável pela Uninabuco, informou que uma sindicância foi aberta para apurar o caso e o aluno suspeito foi liberado antes da chegada da polícia – porque não havia circunstâncias legais para que ele ficasse no local até a chegada das autoridades.

As duas alunas foram encaminhadas para a Delegacia da Mulher, onde prestaram queixa do ocorrido.

Nota à imprensa

Por meio de nota, a Uninabuco reiterou que instaurou a abertura de um procedimento administrativo para apuração do caso e que serão tomadas as medidas cabíveis. Leia a íntegra:

“A UNINABUCO – Centro Universitário Joaquim Nabuco informa que tomou conhecimento do fato ocorrido na tarde desta quarta-feira (10), e que foi instaurado um procedimento administrativo para apuração do caso, para que sejam tomadas as medidas cabíveis. A instituição ressalta que, sob nenhuma hipótese, compactua com nenhum tipo de violência, seja física, verbal ou psicológica.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *