Ex-apresentadora da Globo reclama de baile funk: ‘Porcaria e nojeira’

Carla Vilhena criticou o gosto musical dos vizinhos e fez comparações com outro gênero: “Rap conscientiza, funk aliena’. Por isso o tráfico baniu o rap”

Redação
Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo

Com passagens pelas bancadas do Jornal Hoje e do Jornal Nacional, a jornalista Carla Vilhena causou polêmica nas redes sociais após reclamar do gosto musical dos vizinhos, que promoviam um baile funk próximo à sua casa.

“Inferno nos ouvidos, baile funk a todo volume. E quem tem que acordar cedo? Bem, pra que se preocupar com os trabalhadores, o bom mesmo é a tal ‘manifestação cultural’, que é como essa porcaria é chamada pelos pseudointelectuais”, disparou ela.

A ex-esposa de Chico Pinheiro se referiu ao ritmo como “porcaria” e “nojeira”, e chegou a fazer uma comparação com o rap, que na sua opinião, “conscientiza”, enquanto o “funk aliena”.

“É pior ainda do que isso, o funk de podridão estimula um comportamento tão baixo dos jovens, que muitos só conseguem fazer aquilo sob efeito de drogas. Rap conscientiza, funk aliena. Por isso o tráfico baniu o rap”, argumentou.

A postura de Carla causou a reação de muitos internautas que a chamaram de preconceituosa pelas declarações. “A pessoa nao pode reclamar do barulho e de ter seu legitimo sossego perturbado apenas, tem que cagar seus preconceitos pela boca”, comentou um usuário.”Sou um tanto preconceituosa contra a baixaria”, admitiu a jornalista.

Carla Vilhena deixou a Rede Globo após pedir demissão no início de 2018. Desde 2016 e até hoje, ela mantém um blog pessoal, onde publica textos de sua autoria.

Confira:

Vídeo incorporado

Carla Vilhena

@carlavilhenaa

O baile funk fez silêncio um minuto, cheguei a temer que a terra tivesse tragado a todos; ledo engano, já voltou.

80 pessoas estão falando sobre isso

Carla Vilhena

@carlavilhenaa

Inferno nos ouvidos, baile funk a todo volume. E quem tem que acordar cedo? Bem, pra que se preocupar com os trabalhadores, o bom mesmo é a tal “manifestação cultural“, que é como essa porcaria é chamada pelos pseudointelectuais.

106 pessoas estão falando sobre isso

Carla Vilhena

@carlavilhenaa

Disse tudo. Agora é só pornografia do mais baixo calão tocando em meio à comunidade de maioria honesta que tenta dormir e gostaria de salvar os filhos dessa nojeira. https://twitter.com/fabiomarcondes/status/1143010588055998464 

Fábio Marcondes®@FabioMarcondes
Respondendo a @carlavilhenaa

Infelizmente, @carlavilhenaa a manifestação cultural do verdadeiro funk, se perdeu há tempos.

Veja outros Tweets de Carla Vilhena

Carla Vilhena

@carlavilhenaa

Concordo, e digo mais: o funk pornô está a serviço do tráfico de drogas. E dominou as comunidades pois traz a conveniente alienação dos jovens, contrariamente ao rap, que fazia pensar. https://twitter.com/thuliobenvenuti/status/1143013305952473088 

Thulio Benvenuti@thuliobenvenuti
Respondendo a @carlavilhenaa

A @Anitta deu uma palestra ótima sobre isso em Harvard. Disse: o favelado canta a realidade que tem. Vc acha q ele abre a janela e vê “o barquinho a navegar” e vai descansar em Angra; ou vê tiro, armas, mortes, tráfico de drogas e, como único refúgio, tem os prazeres carnais? 😉

21 pessoas estão falando sobre isso

Carla Vilhena

@carlavilhenaa

É pior ainda do que isso, o funk de podridão estimula um comportamento tão baixo dos jovens, que muitos só conseguem fazer aquilo sob efeito de drogas. Rap conscientiza, funk aliena. Por isso o tráfico baniu o rap. https://twitter.com/fulanetoclayton/status/1143014893551009792 

Clayton F.@FulanetoClayton
Respondendo a @carlavilhenaa

Belíssima definição .. O Funk Pornô em nada agrega,apenas estimula o sexo .. Já o RAP com letras bem escritas, abordando o cotidiano da periferia ajuda na refexão, salva vidas !!

33 pessoas estão falando sobre isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *