Há 189 anos, o único filho legítimo de Napoleão Bonaparte morria aos 21 anos 

Napoleão II teve diversos títulos de nobreza, todavia acabou falecendo antes de ter a oportunidade de deixar sua marca na História

Ingredi Brunato
Pintura de Napoleão II
Pintura de Napoleão II – Domínio Público via Wikimedia Commons

O único filho legítimo do lendário Napoleão Bonaparte, líder militar e imperador, não teve uma vida nem de longe tão grandiosa quanto a de seu pai — até porque não teve muito tempo para honrar seu legado.

Conheça mais na lista abaixo sobre a curta e pouco memorável vida de Napoleão Francisco Carlos José Bonaparte, que, apesar do peso de seu nome, se limita a viver à sombra de sua figura paterna nas páginas dos livros de História.

1. Ele teve vários títulos

O único filho do mais famoso estrategista de guerra francês teve diversos títulos diferentes no decorrer de seus poucos anos. Após seu nascimento em 1811, por exemplo, ele passou a ser chamado de “Príncipe Imperial” e também “Rei de Roma”.

Segundo divulgado pelo site da Fundação Napoleão, o garoto passou a ser Napoleão II com apenas três anos de idade, que foi quando seu pai abdicou em favor dele. Porém, apenas dias depois se tornou o “Príncipe de Parma” em ocasião de uma abdicação mais abrangente da parte de Napoleão Bonaparte, que fez com que seus descendentes também perdessem o direito ao trono francês.

Pintura de Napoleão Bonaparte / Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Aos sete anos de idade, agora morando com o avô Frederico II, que era Imperador da Áustria, a prole do estadista francês ganhou o título de Duque de Reichstadt, que lhe permitiu ser tratado como um príncipe austríaco.

Em 1822, quando o jovem Napoleão era uma criança de apenas onze anos, ele pôde assumir ainda outro cargo de honra, ainda que não tivesse muito como contribuir naquela idade — foi nomeado, também pelo avô, como capitão do exército da Áustria.


2. Ele chegou a reinar sobre a França

Teoricamente, Napoleão II foi governante da França duas vezes: a primeira aos três anos, em 1814, como foi citado anteriormente, e a segunda aos quatro. Em 1814, todavia, o garoto “esteve no poder” por somente dois dias, e em 1815 seu reinado durou cerca de 20 dias.

Vale mencionar ainda que esse último episódio não contou com o reconhecimento da nobreza da época, sendo assim tão ou mais desprovido de significado que a primeira vez que o menino ocupou o trono francês. As informações foram documentadas também pelo site oficial da Fundação Napoleão.


3. Morreu jovem

O filho de Napoleão Bonaparte acabou contraindo tuberculose quando tinha só 21 anos, doença que acabou levando-o a óbito. Assim, Napoleão II faleceu antes mesmo de ter a chance de ter uma vida adulta, e não teve tempo de casar-se ou ter filhos.


4. Foi homenageado em uma peça teatral

Apesar de ter possuído um papel histórico modesto, o Príncipe Imperial não deixa de ocupar um lugar na História, mesmo que seja apenas por conta de suas ligações sanguíneas com o famoso imperador francês, de forma que acabou sendo o personagem principal de uma peça escrita pelo poeta Edmond Rostand em 1900.

Fotografia de Edmond Rostand / Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Nomeada de “L’Aiglon”, o produto artístico conta a vida de Napoleão II em seis atos.


5 – Hitler e os ossos de Napoleão II

Ainda conforme divulgado pela Fundação Napoleão, o descendente de Bonaparte foi enterrado na cidade de Viena, na Áustria, todavia seus restos mortais foram transferidos para seu país natal, a França, no ano de 1940, em plena Segunda Guerra Mundial. O responsável pela mudança foi ninguém menos que Adolf Hitler, cujo exército estava então dominando o país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *