Pesquisadores da UFRJ recomendam lockdown no RJ para evitar colapso na saúde

De acordo com um estudo feito na universidade, o número de infectados no estado poderá chegar a 40 mil no pico da pandemia, prevista para a primeira quinzena de junho

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Chegada de pacientes com coronavírus a hospitais
Chegada de pacientes com coronavírus a hospitais – Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Pesquisadores da Coppe/UFRJ estimam que o pico da epidemia no Rio de Janeiro será no início de junho e recomendam lockdown no estado para evitar um colapso total do sistema de saúde. A conclusão foi alcançada com base em um modelo matemático desenvolvido na Coppe.
De acordo com os pesquisadores, o número de infectados no estado poderá chegar a 40 mil no pico da pandemia, prevista para a primeira quinzena de junho. O modelo foi configurado levando em conta que cada pessoa infectada pode transmitir o vírus para outras 2,46 pessoas, em média.
Coordenado pelos professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), membros do Grupo de Trabalho Multidisciplinar da UFRJ sobre a Coronavirus Disease 19 (COVID-19), Guilherme Horta Travassos, da Coppe, Roberto de Andrade Medronho, da Faculdade de Medicina, e Claudio Miceli de Farias, da Coppe e do Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais (NCE), o estudo inclui somente os casos de Covid-19 confirmados pela Secretaria de Estado de Saúde do estado do Rio de Janeiro.
O modelo estima que o número de casos de covid-19 confirmados no período de pico deverá chegar a cerca de 40 mil casos notificados, levando em conta que apenas 9% dos casos são notificados. O número de óbitos poderá chegar a 30 mil pessoas ao final da pandemia de acordo com o modelo utilizado, caso se mantenha o cenário atual, na qual apenas cerca de 50% da população fluminense segue as orientações de confinamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *