Senador cobra CNBB sobre bispo que disse querer dar veneno de rato a Caetano

Senador quer que presidente da CNBB esclareça que Igreja não comunga com ditaduras
Randolfe criticou 'expressão do desejo de eliminar um ser humano por divergências de ideário' Foto: André Coelho / Agência O Globo
Randolfe criticou ‘expressão do desejo de eliminar um ser humano por divergências de ideário’ Foto: André Coelho / Agência O Glob

O senador Randolfe Rodrigues cobrou explicações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) por causa das declarações de um bispo que disse querer dar veneno de rato a Caetano Veloso.

Em ofício ao presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha, Randolfe cobrou uma manifestação pública de repúdio ao discurso de ódio proferido pelo bispo auxiliar Dom José Francisco Falcão, subordinado à Santa Sé.

Randolfe criticou a “linguagem virulenta em meio a momento litúrgico e a expressão do desejo de eliminar um ser humano por divergências de ideário, vindos de um religioso da Igreja Católica, que tem o cristianismo como orientação de fé”.

Ele pediu que a CNBB deixe claro que a organização e a Igreja Católica “não comungam com a truculência de regimes ditatoriais, quaisquer que sejam eles”.

Segundo a revista Veja , Dom José Francisco Falcão afirmou, em uma missa para comemorar o golpe de 1964, que “gostaria de dar veneno de rato” para o “imbecil” que “nos anos 1970 cantou que é proibido proibir”.

Autor da canção com este nome, lançada em 1968, Caetano decidiu interpelar judicialmente Dom José Francisco Falcão .


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *