Ser negro não pode encurtar caminhos, afirma ex-diretor da Band após ato racista contra Maju Coutinho

Rodrigo Branco, ex-diretor da Band, se explicou em entrevista à revista Veja, dizendo que não é racista e que foi “infeliz na forma de dizer”. Ele havia dito que Maju Coutinho só está na Globo “pela cor”

Após desabilitar as redes sociais por receber críticas por ato racista contra a apresentadora Maju Coutinho, da TV Globo, Rodrigo Branco, ex-diretor da Band, se explicou em entrevista à revista Veja, dizendo que não é racista e que foi “infeliz na forma de dizer”.

Branco sugeriu que a jornalista da Globo, Maju Coutinho, “só está lá por causa da cor” e também dirigiu comentários racistas à participante do BBB Thelma.

“Não sou racista. O que quis dizer é que o fato de ser negro não pode encurtar caminhos. Ser branco também não deveria encurtar. Há pessoas competentes em todos os lados. Não gosto da Thelma, do BBB, como jogadora. Não é por ser negra. Só não gosto. O mesmo se aplica à Maju. Sei que é uma pessoa maravilhosa, mas não gosto dela como apresentadora. Fui infeliz na forma de dizer e agora tenho de assumir as consequências”, disse.

Trabalhando atualmente como produtor cultural e agente de viagens de luxo em Orlando, nos Estados Unidos, Branco diz que desabilitou as redes sociais após “ataques de ódio”.

“Ameaça, calúnia, difamação também são crimes, e, infelizmente, as pessoas que estão fazendo isso não mostram a cara, não terão consequências como eu terei. Não posso me matar, para satisfazer a maioria das pessoas”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *