Unicef defende manter as escolas abertas durante a pandemia

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) insiste na necessidade de manter as escolas em funcionamento ou priorizá-las nos planos de reabertura, levando em consideração as medidas de saúde

Unicef diz que fora da escola as crianças ficam mais vulneráveis
Unicef diz que fora da escola as crianças ficam mais vulneráveis

O Unicef, agência das Nações Unidas para a Infância, defende a abertura das escolas, desde que preservadas as medidas de proteção contra a covid. Como os casos da covid-19 continuam aumentando em todo o mundo, o fechamento de centros de ensino deve ser uma medida de último recurso, disse a agência da ONU em um comunicado.

Este ano, o Unicef ​​estima que o número de menores fora da escola aumente em 24 milhões, um nível não visto há anos.

Muitos países optaram por manter as escolas fechadas, alguns por quase todo o ano de 2020, apesar das evidências de que essas instituições não são um motor para a propagação da pandemia, destaca o texto.

A diretora executiva do Unicef, Henrietta Fore, recomendou que sejam feitos todos os esforços para manter as crianças na escola, já que a pandemia continua elo segundo ano consecutivo, informa a Prensa Latina.

O custo do fechamento desses centros é devastador, ela enfatizou, ressaltando que  90 por cento dos alunos em todo o mundo enfrentaram essa medida durante 2020, e mais de um terço ficou sem acesso à educação remota.

“A capacidade das crianças de ler, escrever e estudar matemática básica diminuiu, e as habilidades de que precisam para prosperar na economia do século 21 diminuíram.”

Além disso, Fore alertou que manter as crianças em casa coloca em risco a sua saúde, desenvolvimento, segurança e bem-estar, sendo os mais vulneráveis ​​os mais afetados.

Muitos menores, sem acesso à alimentação escolar, passam fome e sua alimentação piora.  Henrietta Fore pediu medidas para enfrentar esses problemas e dar mais proteção às crianças.

Sem a rede de segurança que as escolas costumam oferecer, muitas crianças ficam mais vulneráveis ​​a abusos, casamento precoce e trabalho infantil.

De acordo com a diretora executiva do Unicef, se os menores enfrentarem mais um ano de fechamento de escolas, os efeitos serão sentidos nas próximas gerações.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *