UPAE/IMIP de Petrolina recebe visita da Coord. Estadual de Saúde da População Negra para tratar sobre Doença Falciforme

 
A Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) recebeu, esta semana, representantes da Coordenação Estadual de Saúde da População Negra para tratar sobre as ações da Política Estadual da Doença Falciforme.
 
A coord. Miranete Arruda e a enfermeira Gerusa Guerra vieram para uma reunião da Comissão Intergestores Regional (CIR), visitaram a UPAE e o Hemope com o objetivo de conhecer o que a rede de saúde da VIII Regional oferece a esse público. Durante os encontros foram apresentadas algumas atividades desenvolvidas a nível estadual, escutadas as principais dificuldades e demandas.
 
“Nós da UPAE de Petrolina não temos uma cota específica de consultas para a população negra. Mas, temos o hematologista Lucyo Diniz que atende pacientes com doença falciforme e, inclusive, realizamos alguns tipos de exames”, informou a enfermeira gerente do ambulatório, Rayane Coelho.
 
No ano passado, por exemplo, foram registrados 10 atendimentos à pacientes com doença falciforme em crise, e 28 atendimentos à pacientes com doença falciforme sem crise.
 
“Para ter acesso a população deve seguir o fluxo da marcação de primeira consulta. Nesse caso, a porta de entrada é a atenção básica. Ou seja, o usuário deve primeiro ir ao posto de saúde, obter o encaminhamento e realizar a marcação via secretaria de saúde. Após a primeira consulta o paciente passa a ser nosso, e nós conseguimos marcar internamente exames, interconsultas e retorno”, deixa claro.
 
Segundo a coordenadora geral da Unidade, Ana Beatriz Mota Aguiar, a UPAE/IMIP de Petrolina tem todo o interesse em contribuir com ações e políticas que possam beneficiar a população. “Somos serviço público de saúde, trabalhamos na assistência, mas também abraçamos as políticas de saúde. Recebemos a equipe da secretaria estadual com muito carinho, disponibilizamos todas as informações solicitadas e nos colocamos à disposição para o que for preciso”, pontuou sobre a visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *