Apesar da sujeira nos canais, famílias continuam morando em área de risco

Casas ao lado do esgoto no bairro Tancredo Neves

Da Redação

A reportagem do AP percorreu na manhã de ontem (14), algumas áreas da cidade de Juazeiro e constatou que alguns canais estão tomados por plantas aquáticas e com as bordas tomadas por lixo e entulho, por outro lado, cresceu assustadoramente o número de famílias que residem em áreas de riscos. Com a previsão de fortes chuvas para os próximos dias, todos os anos acontecem a mesma ‘ladainha’ onde a Defesa Civil é obrigada a se deslocar para os mais diversos pontos da cidade para salvar os desabrigados.

Canal do bairro Piranga II

Diante da falta de fiscalização, os bairros Tabuleiro, Itaberaba, Malhada da Areia, Jardim Flórida, Tancredo Neves, Parque Centenário e três loteamentos recém criados em área perigosa localizados abaixo da Barragem do São Geraldo. Todos eles poderão trazer graves conseqüências em um futuro bem próximo.

Canal da ‘Vergonha’, São Geraldo

“O poder público nunca se preocupou em resolver esse grave problema, só pensa em arrecadar tributos e mais nada. Juazeiro sempre foi uma cidade governada por malucos, teve um prefeito que fazia festa para comemorar a desgraça dos flagelados. Ele decretava o município em estado de calamidade ou em situação de emergência para receber recursos dos governos estadual e federal e terminava desviando. Até a comida fornecida pelos restaurantes para as pessoas que estavam abrigadas em escolas e no Ginásio de Esportes, era de seus amigos, e ainda de péssima qualidade”, desabafa o comunitário Almedice Feitosa de Mattos do bairro Jardim Flórida.

Outro problema grave que o município enfrenta é quanto as vias de acesso para alguns bairros onde ruas e avenidas estão esburacadas. Neste período de chuvas, a revolta da população tem aumentado.

De acordo com informações da Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos (Seihasp), desde 2009, o trabalho de limpeza vem sendo executado duas vezes ao ano pela Prefeitura Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *