Bolsonaristas promovem linchamento virtual da jornalista Vera Magalhães

 

Depois da Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo, mais uma jornalista é alvo de linchamento nas redes sociais. A vítima agora é Vera Magalhães, colunista do jornal Estado de S. Paulo, que revelou a convocação feita por Jair Bolsonaro de um golpe contra o Congresso Nacional. “Uma conta falsa em nome da jornalista foi criada no WhatsApp e mensagens fraudadas foram distribuídas em outras redes sociais. Além disso, houve compartilhamento de uma cobrança de 2015 do colégio onde estudam os filhos de Vera, expondo, dessa forma, a família da jornalista”, informa reportagem do jornal Estado de S. Paulo.

“Divulgar este tipo de informação pessoal é um constrangimento e, embora possa não ser considerado uma ameaça do ponto de vista jurídico, é obviamente uma forma de ameaçar a jornalista. A divulgação de documentos é um método clássico de ameaçar ou incentivar alguém a atentar contra uma pessoa. Do ponto de vista da Abraji, é mais um ataque dos apoiadores do presidente contra jornalista. Pela recorrência, isso está se tornando uma questão crítica”, disse o presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Marcelo Träsel.

O linchamento, no entanto, não foi consensual na extrema-direita e foi criticado pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP). Confira:

Carla Zambelli

@CarlaZambelli38

Se a @veramagalhaes publicou um print do Fraga, é pq ele próprio printou e enviou. Acredito q isso não deveria sequer ser notícia, por isso critiquei a Vera.

Mas daí a divulgar onde os filhos dela estudam, os colocando em risco, é algo abominável. Atitude clássica da esquerda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *