Carta Aberta da APLB-Sindicato ao Governador e Prefeitos

A APLB-Sindicato, legítima representante dos Trabalhadores em Educação das redes públicas, estadual e municipais da Bahia, dirige-se ao governador e a todos/as os/as prefeitos/as do estado, em defesa da Educação pública de qualidade e, sobretudo, da vida.

O Brasil está vivendo o momento mais difícil da pandemia. Passamos de 250 mil mortes e o número de casos ativos continua crescente, com a circulação de novas cepas do coronavírus, que contaminam e matam mais rápido. A variante do vírus identificada no Amazonas, por exemplo, tem o dobro da carga viral da variante da primeira onda que começou ano passado. A afirmação é da Fiocruz Amazônia e tem como base uma análise feita em 500 amostras coletadas pelo novo teste RT-PCR. O resultado confirma esta cepa do vírus com maior nível de transmissibilidade.

No dia 26 de fevereiro, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou que as unidades de terapia intensiva dedicadas a infectados pelo novo coronavírus no país atingiram os maiores graus de ocupação desde o início da pandemia. Pesquisadores dizem que o Brasil está em uma zona de alerta crítica, num patamar de intensa transmissão da covid-19, sem queda nas incidências de casos e óbitos.

Este cenário não pode ser naturalizado, a exemplo do que faz o governo Bolsonaro, com atitudes que fomentam a aglomeração, prioriza o mercado, em detrimento da vida, e ataca os estados que impõem restrições necessárias para conter a propagação do coronavírus. Temos um presidente que dificulta as ações daqueles que estão lutando para salvar vidas, tornando o Brasil um dos países de pior desempenho no combate à pandemia.

O Governo Federal abandonou o povo brasileiro quando deveria ser o primeiro a garantir medidas de promoção do isolamento, distanciamento físico, uso de máscara, entre outros. Tais ações deveriam se dar por meio de legislações, decretos, campanhas de adesão às medidas restritivas, e, além disso, fiscalização ativa diante do grave cenário.

Felizmente muitos estados e municípios estão indo na direção de salvar vidas, mesmo sem o efetivo apoio do Governo Federal. De forma articulada estão fazendo parcerias para conter a disseminação do vírus e evitar o colapso no sistema de saúde. São mais de mil pessoas morrendo por dia! O processo de vacinação está lento e ainda não conseguiu conter o avanço da pandemia. Portanto, estamos em alerta máximo!!!

Neste contexto, pedimos ao governador e a todos/as os/as prefeitos/as da Bahia, bem como toda a população, que abracem a bandeira da VIDA!!! Neste momento em que se discute o retorno das aulas presenciais pedimos vacina para os profissionais da Educação e toda a comunidade escolar. Não é possível reabrir escolas ou realizar atividades presenciais sem vacina. Portanto, sem a imunização dos trabalhadores da área de ensino estaremos à disposição para dar aulas apenas de forma remota, com garantia de estrutura adequada para tal. Retorno presencial só com vacina. Todas as vidas importam!!!

Nossa luta é pela vida!!! Abrace esta bandeira!!!

Ano letivo se recupera. Vidas, não!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *