Com explosão de casos e desmoralização global, governo brasileiro decide recontar mortes por covid-19

 

Coveiros com trajes de proteção enterram homem morto pela Covid-19 em cemintério em São Paulo 04/06/2020
Coveiros com trajes de proteção enterram homem morto pela Covid-19 em cemintério em São Paulo 04/06/2020 (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

No momento em que o Brasil sofre uma explosão de mortes por covid-19 e uma desmoralização global, sendo repreendido até por Donald Trump, o ministério da Saúde decidiu recontar as mortes pela doença. “Tinha muita gente morrendo por outras causas e os gestores públicos, puramente por interesse de ter um orçamento maior nos seus municípios, nos seus estados, colocavam todo mundo como covid. Estamos revendo esses óbitos”, disse o bilionário Carlos Wizard, que já despacha na Secretaria da Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, à jornalista Bela Megale, do Globo. Segundo ele, os dados atuais seriam “fantasiosos ou manipulados”. Saiba mais sobre a situação caótica no Brasil, em reportagem da Reuters:

(Reuters) – O Brasil registrou nesta sexta-feira mais 1.005 mortes em decorrência do novo coronavírus, elevando a contagem total para 35.026, informou o Ministério da Saúde.

Em relação ao número de casos, foram contabilizadas 30.830 novas infecções, o que faz com que o total no país atinja 645.771, segundo o ministério.

O Brasil é o segundo país com maior número de casos confirmados no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, que possuem quase 1,9 milhão de infecções.

O país é o terceiro na contagem de óbitos, abaixo somente dos EUA (108.068) e do Reino Unido (40.261).

A divulgação diária dos números da Covid-19 no Brasil pelo Ministério da Saúde não indica que as infecções e óbitos tenham necessariamente ocorrido nas últimas 24 horas, mas sim que os registros foram inseridos no sistema no período.

A pasta anunciou nesta sexta-feira que a divulgação dos dados seria mais tarde, alegando necessidade de checagens junto a secretarias estaduais e municipais. Até o início desta semana, os dados vinha sendo publicados às 19h.

“Acabou matéria no Jornal Nacional… O Jornal Nacional gosta de dizer que o Brasil é recordista em mortes. Não interessa de quem partiu (a decisão), é justo sair 10 da noite para sair o dado completamente consolidado”, disse o presidente Jair Bolsonaro a jornalistas sobre o tema.

De acordo com a contagem de casos realizada pelo ministério por Estados, São Paulo segue como o mais afetado pela Covid-19, atingindo as marcas de 134.565 casos e 8.842 óbitos.

O governo paulista estimou na quarta-feira que o Estado terá de 190 mil a 265 mil casos de coronavírus até o final deste mês.

O Brasil possui 266.940 pacientes recuperados da Covid-19, segundo o Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *