Governo frustra idosos ao negar incluir Viagra e Cialis

Max Leone

 

O governo frustrou idosos ao negar incluir Viagra e Cialis, composições receitadas em casos de disfunção erétil, na lista de medicamentos do programa Farmácia Popular. Aposentados que reivindicam a ampliação da listagem ouviram ontem de representantes do Ministério da Previdência e da Secretaria-Geral da Presidência que não compete à União fornecer esse tipo de remédios gratuitamente ou com preço mais em conta.

 

Na reunião, as autoridades informaram que de quase 70 remédios sugeridos pelos idosos, apenas dois teriam princípios ativos que não estão na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais: o rosuvastativa cálcica (reduz a quantidade de colesterol ruim e triglicerídeos no sangue) e o pantoprazol (ataca a acidez estomacal).

 

Os ministros Garibaldi Alves Filho (Previdência) e Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) informaram que o Grupo de Atenção à Saúde do Idoso será criado para continuar as discussões sobre os medicamentos e os demais itens que os aposentados reivindicam. Novo encontro está agendado para 13 de agosto.

 

Outro ponto que provocou revolta nos representantes dos inativos foi o que trata da criação de plano de saúde para idosos. De acordo com os participantes da reunião, a proposta foi rejeitada pelo governo, que argumentou que já existiria rede de atendimento voltada a esse público.

 

Campanha vai esclarecer

 

O ministro Gilberto Carvalho informou ontem que o governo fará campanha de divulgação para esclarecer melhor os direitos e quais os medicamentos estão na lista do programa.

“O que está disponível é muito mais do que eles (idosos) imaginam. Vamos fazer a divulgação até para que haja, na ponta, uma cobrança às farmácias e aos médicos para que o paciente tenha, de fato, acesso à medicação que está disponível”, afirmou. (O Dia)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.