Lóssio será candidato ao governo de Pernambuco, caso Eduardo concorra à eleição presidencial

Julio Lossio

Da Redação

Opositor ferrenho de Eduardo Campos (PSB), o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), ganhou notoriedade política no Estado com a reeleição em outubro 2012. Atualmente, ele vem trabalhando de maneira tímida para alçar o voo ao Executivo estadual para 2014. Por outro lado, o governador pernambucano vem fazendo isso com mais precisão, adquirindo destaque nacional e causando temor ao Palácio do Planalto. Ainda em Brasília, o relacionamento do PSB com o PMDB e PT não é nada bom. Para o bom observador a presidente Dilma Rousseff deu o primeiro passo quando realizou reunião com os prefeitos prometendo mundo e fundos. Os mais contagiados foram os do nordeste, inclusive de Pernambuco. Em se tratando de política, Dilma teme ser queimada pelo ‘fogo amigo’.

Hoje, a situação política de Eduardo no estado é tão confortável que a oposição se encontra bastante recolhida, resumida a poucas pessoas. No ano passado lideranças de oposição como o deputado federal Raul Henry e o senador e ex-governador Jarbas Vasconcelos levantaram a bandeira branca da paz se aliando a situação. Outras lideranças seguiram no mesmo caminho temendo o pior.

Diante do quadro, Lóssio não iria ‘jogar o barro na parede’ sem ter o apoio de alguém de peso em Brasília, inclusive do vice presidente Michel Temer que teve a sua cadeira ameaçado pelo PSB. Mas para isso ele terá que contar com o apoio do PT estadual e nacional.

Em Petrolina as vísceras da política entre PT e PSB se abrem mais a cada dia, demonstrando que a desavença eleitoral de outubro de2012 seguirá por longo tempo. Na Casa Plínio Amorim o bate boca entre os vereadores Cristina Costa (PT) e Ronaldo Canção (PSB) – ligado ao grupo de ministro Fernando Bezerra – tem gerado grande confusão. Até a deputada estadual Isabel Cristina (PT) tem demonstrado sua revolta com os socialistas. O único que ainda continua relutante em se aproximar do PMDB é o deputado estadual Odacy Amorim, mas segundo informações de pessoas próximas não existe outra alternativa para o deputado. “Isso é questão de tempo”, informou.

Enquanto Lóssio aguarda a decisão de Eduardo sobre a candidatura ao Palácio do Planalto, o palanque eleitoral de 2012 continuará montado para 2014.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.