Presidente nacional do PT ignora Joseph e apóia Isaac

Rui Falcão enalteceu a candidatura de Isaac

Thalita Bezerra – Ação Popular

O Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Rui Falcão, em entrevista exclusiva ao Ação Popular falou sobre o imbróglio que vem acontecendo em Juazeiro. Segundo Falcão, as direções nacional e estadual do partido referendaram o apoio ao PCdoB, tendo a frente o candidato a reeleição Isaac Carvalho (PCdoB), ignorando a decisão tomada pela direção municipal. “Estamos apoiando o candidato do PCdoB, uma resolução do diretório estadual e nacional. O partido como o PT é democrático e eu acho que os companheiros têm que seguir a orientação porque seria impossível seguir naquelas condições”.

Para Rui, a aliança em Juazeiro com o PT consolida o projeto nacional. “O PCdoB é nosso aliado histórico desde o ano de 1989 na primeira eleição do Lula, nós temos um programa que vem sendo coordenada pela presidenta Dilma, o PCdoB tem um ministro que é o deputado federal Aldo Rabelo, nós temos uma ligação muito forte, mas em muitas cidades estamos disputando com o PCdoB porque as eleições municipais são as afirmações dos partidos, então é legitimo que os partidos se apresentem encabeçando chapas”.

Com relação à divisão do PSB e PT no País, ele foi direto. “Temos alianças com o PSB em várias cidades e até o momento faz parte da base de apoiou da presidenta Dilma Roussef e agente espera que continue assim, agora em certas regiões que houve uma ruptura de acordos e rompimentos de frente já estabelecida, a exemplo de Belo Horizonte onde agente queria continuar apoiando o prefeito do PSB e ele rompeu a palavra e não honrou os seus compromissos e foi se aliar com um candidato do PSDB, em Recife e Fortaleza unilateralmente o PSB rompeu a frente que mantinha com o PT, nada mais do que isso”, assegurou.

Teresa Cristina, Odacy Amorim, Rui Falcão, Isaac Carvalho e Irmão Francisco

Sobre as criticas mencionada pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), onde afirma que Pernambuco não é quintal de São Paulo, ele foi irônico: “Ele tem razão que Pernambuco não é quintal de ninguém, como nenhum estado do Brasil é quintal do outro, não sei porque ele fez essa observação, mas de qualquer maneira ele tem razão, seria um absurdo agente imaginar que um estado de futuro e com pessoas trabalhadoras fossem quintal de qualquer estado. Acho que nenhum pernambucano vai tolerar seu estado ser tratado como quintal, agora digo também que não há nenhum estado do Brasil que quer ser quintal do outro ou tomar conta do outro”.

Por outro lado, ele se mostrou confiante em o partido eleger maioria dos candidatos mesmo enfrentando desgaste no caso do mensalão. “O PT não entra em disputa para perder e sim com muita vontade de dialogar com o povo, a nossa campanha é de propostas e idéias e defendemos com muita coragem, não há poder econômico que sobreponha a vontade do povo, quando o povo está esclarecido e pensa no seu futuro, nosso partido tem uma militância firme e vai ganhar em diversas cidades”.

Em Recife, a direção nacional do PT disponibilizou R$ 400 mil para a campanha de Humberto Costa. Em São Paulo e Belo Horizonte os valores ultrapassaram o triplo. No caso especifico do ‘socorro’ para a campanha do candidato sertanejo Odacy Amorim, ele não apresentou nenhum valor. “Vamos ver isso ainda”, concluiu.

Amorim está enfrentando a campanha com muitas limitações, tendo dificuldades em determinadas ocasiões. Ele está enfrentando a máquina municipal, do PMDB nacional que tem como candidato a reeleição o prefeito Júlio Lóssio (PMDB), e o exército do PSB que tem como candidato Fernando Filho (PSB) que conta com os apoios do governador Eduardo Campos, do pai ministro Fernando Bezerra, empresários e outras personalidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.