Procuradoria investiga lavagem de dinheiro de Verônica Serra com obras de arte

Verônica e José Serra, Rodoanel ao fundo

O Ministério Público Federal tenta “elucidar” uma transação de 326 mil euros destinada à offshore gerida por Verônica Serra, filha do senador José Serra (PSDB-SP) e alvo de investigações da Lava Jato sobre lavagem de dinheiro no âmbito da construção de obras do Rodoanel, em São Paulo. O valor representaria uma suposta negociação de compra e venda de ‘quatro portinaris’.

De acordo com reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, as quatro obras do brasileiro Cândido Portinari foram citadas em um pedido de reconsideração apresentado pela Procuradoria contra decisão do juiz Diego Paes Moreira, 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, que autorizou ação de busca e apreensão na casa do tucano.

“Assim, é possível esclarecer na busca se há a existência de lavagem de dinheiro em favor de José Serra por meio de obras de arte, com o respectivo pagamento no exterior, ou se trata-se apenas de uma justificativa formal para a transferência”, justificou a Lava Jato no pedido. “A presença de obras de arte na residência de José Serra que possam ter sido utilizadas para a lavagem de ativos de origem ilícita não é, portanto, mera suposição, mas sim algo de alta probabilidade e que justifica a medida visada”.

O juiz, porém, autorizou somente a busca por registros das transações, negando apreensão de peças artísticas. A transferência foi feita pela Hexagon, offshore controlada pelo empresário José Amaro Ramos, acusado de usar contas no exterior para fazer repasses ao tucano, à Dortmund, de Verônica Serra.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *