Correios garantem que greve não vai prejudicar entregas

Correios3

Mesmo com a greve por tempo indeterminado deflagrada na noite de quarta-feira, dia 11, pelos trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) no Rio Grande do Sul, a empresa promete que os serviços não serão prejudicados. Além dos gaúchos, Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins, Rondônia, Pernambuco e Paraíba também decidiram pela paralisação. Nesta quinta-feira, trabalhadores de outros Estados devem realizar assembleias para decidir sobre a continuidade dos trabalhos.

Em caso de necessidade, os Correios farão uso de um plano para garantir a continuidade dos serviços, que inclui a realização de horas extras, mutirões para entrega nos fins de semana, deslocamento de empregados entre as unidades e contratações temporárias para o caso de a greve se estender. Por lei, pelo menos 30% dos servidores devem permanecer em atividade para garantir a manutenção dos serviços básicos em caso de greve.

De acordo com o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do RS (Sintect/RS), Vitor Rittmann, os grevistas estarão a partir das 11h desta quinta em frente à sede dos Correios em Porto Alegre, na Rua Siqueira Campos, e para a tarde está prevista uma passeata pelas ruas da região central.

A ECT tem cerca de 8 mil funcionários em todo o Rio Grande do Sul. Um balanço sobre a adesão da categoria à paralisação deve ser divulgado no fim da manhã, após a abertura das agências.

Os pedidos da categoria

Os trabalhadores dos Correios de todo o país estão em campanha salarial. Entre os pedidos estão o reajuste de 47,8%, dos quais 20% seriam referentes às perdas históricas, contratação de 110 mil trabalhadores em todo o país e manutenção do Correios Saúde (plano de saúde da categoria). Na proposta da empresa, consta uma proposta de aumento de 5,27% sobre os salários e benefícios. (Zero Hora)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *