“Essas eram perguntas incômodas e o governador não responderia”

Foto: Reprodução / Facebook

A jornalista Daniela Assis, em artigo publicado no site Brasil 247 sobre a violência da polícia nos atos de domingo, lembrou de um episódio que passou com o governador Rui Costa (PT) no Carnaval deste ano.

“Às 10h35 do dia 20 de fevereiro deste ano, 11 dias depois da morte do ex-capitão da PM, Adriano Magalhães da Nóbrega, morto em um cerco policial na localidade Esplanada, interior da Bahia, depois de contato com a assessoria do governador, Rui Costa (PT) e por sugestão dos assessores, encaminhei algumas questões por e-mail”, escreveu.

Ela listou as perguntas. Uma delas foi querendo saber “quando e por que meios” o governador tomou conhecimento da operação. A outra era se Rui tinha participado da estratégia da operação.

Denise concluiu: “Ao recebê-las, no entanto, a mesma equipe que parecia aberta a que o questionário fosse respondido, desculpou-se. O governador Rui Costa já estava em recesso de carnaval e não responderia. Não insisti, mas me pareceu contraditório. A mesma equipe de assessores que animadamente disse sim, (eles encaminhariam as perguntas para serem respondidas), retornasse e, de modo seco, comunicasse a negativa. O que me pareceu, foi que essas eram perguntas incômodas e o governador não responderia, porque por algum motivo, não tinha todas as respostas para elas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *