IF Sertão-PE realiza dia especial para apresentação de pesquisa sobre ovinos berganês

 
O campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão-PE realiza, no próximo sábado (23), a partir das 8h, o Dia Especial para divulgação dos resultados do projeto “O Berganês do Sertão Pernambucano”. O evento, que contará com a presença de produtores da região, é parte do trabalho de doutorado que, de forma pioneira, tem como objeto de estudo o ovino Berganês.
 
Grupo genético típico da região de Dormentes, no Sertão Pernambucano, o Berganês é resultado do cruzamento entre ovinos das raças Santa Inês e Bergamácia, com a intenção de produzir animais maiores e mais pesados para a produção de carne. Esses cruzamentos vêm sendo realizados desde o final da década de 1980, no entanto, só agora, através do projeto de pesquisa, está sendo realizada a caracterização desses animais, que apresentam aspectos únicos de um grupo racial e com características próprias da região.
 
De acordo com o coordenador do projeto, João Bandeira, a intensão é dar subsídio técnico aos produtores para promover a criação de uma nova raça de ovinos, que ainda não é reconhecida. A pesquisa propõe conhecer o potencial produtivo e adaptativo do Berganês e seus cruzados.
 
A pesquisa conta com a participação de estudantes dos cursos Técnico em Agropecuária e Técnico em Zootecnia do campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão-PE e também com a parceria da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos Berganês (ABCOB), da Embrapa Semiárido, da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).
 
Além de grande valor científico, o projeto de pesquisa pretende dar subsídios para homologação do Berganês, junto ao Ministério da Agricultura (MAPA), como uma nova raça de ovinos. Tende, ainda, a beneficiar produtores ao evidenciar as qualidades e vantagens que o berganês pode oferecer, favorecendo o desenvolvimento econômico da região e dos criadores com a oportunidade de exportação de seu material genético para outras regiões do país, agregado um maior valor ao produto comercializado. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *