Pernambuco registra aumento de casos da Covid-19 por duas semanas seguidas

André Longo, secretário de Saúde de Pernambuco

Em coletiva no fim da tarde desta quinta-feira (3), o secretário estadual de Saúde, André Longo, informou que Pernambuco apresentou aumento nos registros da Covid-19 nas últimas duas semanas. De acordo com Longo, o aumento foi registrado em três das quatro macrorregiões do Estado.

Os números de casos graves de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) confirmados para a Covid-19 nas últimas três semanas epidemiológicas (semana 46, 47 e 48) foram de 512, 580 e 653 na última.

“Observamos, por duas semanas seguidas, uma oscilação para cima, fato que não ocorria já há algum tempo”, informou André Longo. De acordo com o secretário, o aumento correspondeu a 13% entre a semana 46 e 47 e um aumento de 27% entre a semana 47 e 48.

O secretário informou que o aumento de casos foi puxado pelo Agreste do Estado. “A região teve um comportamento pior quando comparada com a semana epidemiológica 47, chegando a 50% de aumento, embora o número de casos absolutos não seja tao grande”, salientou.

Mesmo puxado pela região macrorregião 2, onde fica o Agreste, o aumento só não foi registrado em uma das macrorregiões do Estado. De acordo com Longo, apenas a macrorregião 3, do Sertão Central, apresentou redução nos casos confirmados da Covid-19 nas últimas duas semanas.

O boletim semanal Infogripe divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) revelou que em Pernambuco “há ao menos uma macrorregião estadual com tendência de curto e/ou longo prazo de aumento com sinal moderado (probabilidade > 75%) ou forte (probabilidade > 95%) de crescimento”.

Longo negou que haja uma segunda onda em Pernambuco e categorizou os aumentos como oscilações comuns. “Ressalto que as oscilações ainda não configuram uma segunda onda, mas merecem atenção e reforço na adoção dos cuidados por parte de todos. O Governo do Estado continuará monitorando os dados com transparência e não iremos nos furtar a tomar medidas mais rígidas caso os adoecimentos e casos graves apresentem uma tendencia clara e permanente de crescimento”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *